segunda-feira, 24 de julho de 2017

EDUCAÇÃO: SEU FILHO PODE AJUDAR EM CASA. DESCUBRA COMO!

A Tabela Montessori: tarefas que seu filho pode fazer sozinho e em que idade

Nesta postagem trago para vocês a Tabela Montessori: descubra quais as tarefas que seu filho pode fazer sozinho e em que idade.

A Tabela Montessori: descubra quais as tarefas que seu filho pode fazer sozinho e em que idade
A Tabela Montessori: descubra quais as tarefas que seu filho pode fazer sozinho e em que idade

Como sempre acontece na educação, existem partidários fiéis e detratores da pedagogia de Maria Montessori. Muitos afirmam que a educação, como está estruturada hoje, não vê como viável a metodologia da famosa educadora italiana do século XIX e início do século XX. Para ela, a escola não é apenas um espaço para um professor transmitir conhecimentos de forma direta. Maria Montessori argumentou que a criança irá desenvolver suas próprias habilidades, de uma forma mais livre, a partir de materiais de ensino especializados.
As salas de aula teriam alunos de diferentes idades, onde as próprias crianças seriam livres para escolher o material com o qual querem trabalhar e expandir suas habilidades de forma mais independente. Eles próprios definiriam seus ritmos de aprendizagem de acordo com suas particularidades, envolvidos sempre em um contexto menos rígido, onde as lousas não seriam tão importantes e as crianças teriam a liberdade de movimento na sala de aula.
A perspectiva pedagógica de Maria Montessori teve um impacto global e renovou muitos métodos educativos realizados até então, a ponto de “chocar” os setores do ensino clássicos e mais conservadores.
Hoje, este método que enfatiza, acima de tudo, a liberdade de aprendizagem e a responsabilidade do próprio aluno no processo de aquisição de novos conteúdos, não é apreciado na maioria das instituições. Podemos encontrar este método em algumas escolas particulares onde são trabalhadas muitas dessas estratégias interessantes, mas a pedagogia de Montessori não é o pilar da nossa educação atual (pelo menos não no Brasil).
Agora, neste ponto, você pode se perguntar: Onde foi parar o papel das mães e dos pais na educação dos filhos? Era importante? Era e continua sendo vital. O apoio, a orientação e o cuidado dos pais são fundamentais para educar crianças felizes, adultos independentes e boas pessoas no futuro.
A seguir, deixamos 15 dos princípios enunciados por Maria Montessori.
v Lembre-se sempre de que a criança aprende com o que está ao seu redor. Seja seu melhor modelo.
v  Se você critica muito o seu filho, a primeira coisa que ele aprende é julgar.
v  Por outro lado, se você o elogia regularmente, ele vai aprender a valorizar.
v  O que acontece se você mostrar a sua hostilidade à uma criança? Ela vai aprender a brigar.
v  Se for ridicularizada com frequência, a criança se tornará uma pessoa tímida.
v  Ajude seu filho a crescer se sentindo seguro em todos os momentos, e ele aprenderá a confiar.
v  Se você menospreza o seu filho frequentemente, um sentimento muito negativo de culpa irá se desenvolver nele.
v  Faça seu filho ver que as ideias e opiniões dele são sempre aceitas, assim, ele se sentirá bem consigo mesmo.
v  Se a criança vive em uma atmosfera onde se sente cuidada, integrada, amada e necessária, aprenderá a encontrar o amor no mundo.
v  Não fale mal de seu filho nem quando ele está perto e nem quando está longe.
v  Concentre-se no fato de que seu filho está crescendo e se desenvolvendo da melhor forma possível. Valorize sempre o lado bom da criança, para que nunca haja espaço para o mal.
v  Sempre ouça ao seu filho e responda quando ele se aproximar de você com uma pergunta ou um comentário.
v  Respeite seu filho, mesmo que ele tenha cometido um erro. Apoie-o e corrija-o, agora ou talvez um pouco mais tarde.
v  Você deve estar disposto a ajudar seu filho se ele estiver a procura de algo, mas também deve estar disposto a deixá-lo encontrar as coisas sozinho.
v  Quando falar com o seu filho, faça-o sempre da melhor maneira. Ofereça a ele o melhor que há em você.
Todos nós queremos que os nossos filhos se tornem adultos responsáveis e educados. No entanto, a maioria dos pais passa o dia a limpar a bagunça de suas crianças. Se elas não forem ensinadas desde muito cedo a ajudar nas tarefas, dificilmente o farão quando crescerem.
Ainda hoje muitos pais seguem as ideias de Maria Montessori  para educar com sucesso as crianças usando a lógica, o bom senso e a calma. Assim, os filhos conseguem desenvolver uma personalidade harmoniosa e equilibrada.
Para conseguir isso, a escola Montessori criou uma tabela de tarefas de acordo com a idade de cada criança.
A maioria são afazeres domésticos. O cumprimento destas tarefas irá ajudar os mais pequenos a desenvolver o seu pragmatismo, habilidades motoras e experiência sensorial, fazendo-os sentir úteis e importantes:
 “QUANDO UMA CRIANÇA SE SENTE CONFIANTE, ELA DEIXA DE BUSCAR A APROVAÇÃO DOS ADULTOS A CADA PASSO”. MARIA MONTESSORI

CARTÃO DE CRÉDITO: COMO ABRIR UM PROCESSO NO JUIZADO ESPECIAL

Como Abrir um Processo no Juizado Especial

JEC
Saiba como são feitas ações no Juizado Especial Cível

Os problemas relacionados às relações de consumo são cada vez mais frequente. Porém, os consumidores estão cada vez mais conscientes, o que obriga as empresas a solucionarem as queixas. Os órgãos de proteção ao consumidor, como o Procon, são boas alternativas, mas às vezes é preciso recorrer ao Juizado Especial Cível. Como passei recentemente por uma situação desse tipo, hoje vou compartilhar como foi minha experiência.

Há mais ou menos um ano e meio comprei um notebook da marca Dell e após alguns meses ele começou a apresentar problemas na tela. Contatei a assistência, mas o problema persistiu até que, depois de um ano, a garantia acabou. Com o fim do prazo, a empresa se recusou a resolver os danos.

Procurei o Procon e aprendi, nesse momento, algo que não sabia. A instituição não pode solucionar queixas de vício após o vencimento da garantia – ou pelo menos foi o que me disseram no Procon de Florianópolis. A atendente me orientou a procurar o Juizado Especial Cível porque o valor da ação é inferior a 20 salários mínimos.

Informações Importantes

O Juizado Especial pode resolver problemas sem a necessidade de um advogado, desde que o valor da indenização não ultrapasse o limite de 20 salários mínimos. Como não existe um advogado para representar os interesses de quem move a ação, o próprio juiz deverá solicitar documentos, depoimentos de testemunhas e outras provas que podem ser importantes para a resolução da queixa.

Em Florianópolis, foi preciso procurar o Fórum mais próximo da minha casa. No próprio Juizado Especial recebi as primeiras orientações sobre o que informar no formulário de solicitação, que funciona como uma petição inicial. Além do formulário preenchido, também precisei levar uma cópia do meu CPF, identidade e comprovante de residência. Tirei ainda uma cópia do documento de solicitação para protocolar no momento da entrega.

Como Iniciar o Processo

O passo mais importante foi o preenchimento dessa petição inicial. Nela, é importante escrever todas informações importantes sobre o processo. No meu caso, relatei todos os reparos que foram feitos pela assistência técnica da Dell sem resultados.

Todos os documentos que comprovem o que ocorreu devem ser anexados à petição. Nota fiscal, números de protocolo e comprovantes são essenciais. Para minha sorte, todos os contatos com a Dell tinham sido feitos por e-mail ou chat. Ao todo, anexei quase 200 páginas de mensagens trocadas com a equipe da empresa, além dos comprovantes de troca de componentes.

O formulário possui campos para que sejam informados os valores solicitados. Um deles diz respeito ao custo mais imediato, no meu caso, o valor do próprio computador. Outros valores como despesas adicionais, danos morais e outros também podem ser acrescentados pelo solicitante. O juiz responsável, dependendo das informações do processo, poderá acrescentar correções e outros valores de acordo com seu entendimento sobre o caso.

Resultado da Ação

O meu caso se baseava no vício do produto adquirido, que nunca foi devidamente sanado. Mesmo fora da garantia, era obrigação da empresa solucionar de forma definitiva o problema. Por isso, solicitei a devolução do valor equivalente ao computador.

Cerca de 3 semanas depois que dei entrada com a ação no Juizado Especial, recebi da Dell uma proposta de acordo. Logo depois recebi também a convocação para a audiência, marcada para 4 meses depois. O acordo oferecido pela empresa correspondia ao valor que eu havia pedido e, por isso, aceitei. Dessa forma, todo o procedimento foi solucionado mais rapidamente do que eu imaginava.

Procurar o Juizado Cível pode ser uma excelente alternativa para solucionar pequenos problemas que, de outro modo, seriam muito desgastantes. Além disso, é uma alternativa fácil de procurar seus direitos. Nunca deixe para lá algo que poderá resolver quando a lei está a seu lado.


sexta-feira, 21 de julho de 2017

MINERAÇÃO: EXPLORAR SEM DEGRADAR? È POSSÍVEL?

O grande crescimento da mineração no Pará e a necessidade do Licenciamento Ambiental: é possível conciliar?


A mineração é uma atividade econômica de extrema relevância para todo o Brasil, gerando divisas e geração de renda, caracterizando-se pela diversidade de processos operacionais determinados pelas características da jazida. À depender do tipo de mineral, jazida, forma de extração e beneficiamento, ocorrem alterações socioambientais que resultam em impactos positivos e negativos que devem ser controlados na realização das atividades. Tais conflitos são ainda mais antagônicos considerando-se a Região Amazônica, onde as atividades minerárias exigem regramentos especiais, com o intuito de conciliar o desenvolvimento econômico à extrema riqueza do seu patrimônio ambiental e sociocultural, atendendo à legislação ambiental federal e estadual como a Constituição Federal e o Código Florestal Brasileiro.

O estado do Pará, cuja área de 1.247.689 Km2 representa 14,65% do território nacional e 23,91% da Amazônia Legal, apresenta grande riqueza mineral como ferro, bauxita, cobre, caulim, manganês e níquel, o que o coloca como a grande província mineral brasileira.

A primeira jazida de minério de ferro descoberta pela Vale na região de Carajás, no sudoeste do Pará, em 1967, mudou a história da empresa e colocou o Brasil no mapa da mineração mundial. Atualmente, a cadeia produtiva mineral responde por cerca de 271 mil empregos diretos e indiretos no Estado, sendo que para cada emprego direto, outros 13 postos de trabalho são criados ao longo da cadeia, segundo o Simineral.

Além dos empregos, o valor arrecadado com royalty da mineração e arrecadação em impostos apresenta crescimento na ordem de 53%. Além de outros locais do Pará, espera-se que Parauapebas e Canaã dos Carajás cresçam vertiginosamente quando o projeto S11D da Vale entrar em operação.
Sobre esse subsolo riquíssimo, encontram-se uma população bastante distribuída entre os centros urbanos e populações tradicionais, indígenas e ribeirinhos, além de grandes áreas protegidas na condição de Unidades de Conservação e Terras Indígenas. Neste cenário, é um grande desafio do governo estadual desenvolver e ampliar o setor mineral de forma sustentável, cujo principal instrumento regulador é o processo de Licenciamento Ambiental.

Determinado pela Política Nacional do Meio ambiente, a proteção ambiental deve ser assegurada para o desenvolvimento sustentável, atribuindo ao poder público assegurar a preservação do meio ambiente. Deve considerar, além disso, a sustentabilidade socioeconômica das populações locais, considerando-se que por mais que seja longo o período de exploração, haverá um momento de exaustão das jazidas.

Compete à Secretaria de Estado de Meio Amviente (SEMA) e especificamente à Diretoria de Licenciamento Ambiental a árdua tarefa de regularizar e fiscalizar as atividades minerárias, à partir da definição de atividades e empreendimentos efetiva ou potencialmente poluidores ou degradadores, de acordo com a legislação ambiental. Por via de regra, todas atividade ou empreendimento que utilize ou explore os recursos naturais, ou com potencial de degradação do meio ambiente, tais como a mineração, depende do licenciamento prévio do órgão ambiental do Estado.

Segundo a SEMA, dentre as atividades minerárias que obrigatoriamente necessitam de Licenciamento Ambiental merecem destaque as:

– Jazidas de substâncias metalíferas
– Jazidas de substâncias minerais de emprego imediato na construção civil
– Jazidas de fertilizantes
– Jazidas de combustíveis de fósseis sólidos
– Jazidas de rochas betuminosas e pirobetuminosas
– Jazidas de gemas e pedras ornamentais
– Jazidas de minerais industriais não incluídas nas classes precedentes
– Jazidas de águas minerais

O início do processo de regularização ambiental deve ser feito através do cadastramento das Informações técnicas do empreendimento e suas atividades na SEMA, conforme determinado pela Lei nº 5.887/95. Está obrigada a esse registro toda e qualquer pessoa, física ou jurídica, prestadora de serviços ou responsável por atividades potencialmente poluidoras ou de extração, produção, transporte e comercialização de produtos considerados danosos ao meio ambiente, assim como de produtos e subprodutos da fauna e flora.

Após o procedimento inicial, através da análise da localização, características operacionais, porte e potencial poluidor do empreendimento, o órgão ambiental instrui o processo de regularização ambiental determinando os estudos e procedimentos necessários. Para os empreendimentos de maior porte e potencial produtivo, como os grandes projetos minerários citados nesse texto, há a solicitação de estudos mais amplos e complexos denominado “Estudo Prévio de Impacto Ambiental e Relatório de Impacto Ambiental – EPIA/RIMA”. Mesmo para minerações menores, estes mesmos estudos complexos podem ser solicitados quando a localização esteja em área de uso restrito ou grande potencial ambiental. Outros estudos diversos podem ser solicitados pela SEMA, tais como o Plano de Controle Ambiental – PCA; Plano de Recuperação de Áreas Degradadas – PRAD; Plano de Recuperação de Mata Ciliar – PRMC, dentre outros, de acordo com as características do empreendimento minerário.

Para os grandes municípios, há a possibilidade de convênio com a SEMA, que transfere a responsabilidade do licenciamento ambiental para as prefeituras municipais, tal como é feito em Belém que realiza a regularização ambiental através da SESMA (Secretaria Municipal de Saúde e Meio Ambiente).

De qualquer forma, o modelo de Licenciamento Ambiental adotado no Pará é o trifásico, compostos por: I - Licença Prévia (LP), que autoriza os estudos para a implantação do empreendimento; II - Licença de Instalação (LI), que autoriza o início da construção; e III - Licença de Operação (LO), que autoriza o início da operação.

Devido às tais complexidades dos mecanismos de regularização ambiental, especialmente considerando as características socioambientais encontradas no estado do Pará, é fundamental que a fase de planejamento dos projetos minerários contemple uma criteriosa avaliação quanto à sua localização, restrições de uso, modalidades de licenciamento ambiental, além dos custos e prazos envolvidos. Assim, haverá, certamente, além do cumprimento da legislação ambiental estadual e federal, a redução de custos envolvidos com vistas à operação do empreendimento minerário.

Sobre a autora:

Flávia Peres Nunes possui Doutorado em Ecologia e Pós-doutorado em Recuperação de Áreas Degradadas pela UFMG. É sócia diretora da Razão Consultoria Ambiental, atuando na gestão, consultoria, licenciamento e perícia ambiental em diversos segmentos. Atua como professora de cursos de Pós-graduação e MBA em diversas instituições nas áreas de Licenciamento, Perícia e Gestão Ambiental, Manejo e Recuperação de Áreas Degradadas.


quinta-feira, 20 de julho de 2017

CURIOSIDADE: PORQUE O HOMEM NÃO MAIS VOLTOU À LUA?



POR SALVADOR NOGUEIRA

No dia 20 de julho de 1969, exatos 48 anos atrás, pela primeira vez uma espaçonave tripulada pousava na superfície da Lua. Apenas algumas horas após a alunissagem, Neil Armstrong e Buzz Aldrin se tornariam os primeiros humanos a caminhar sobre outro corpo celeste. Estava provado que a humanidade podia mesmo visitar outros mundos e não estava limitada a seu planeta de origem.
Após a Apollo 11, outras cinco missões tripuladas realizariam pousos na Lua, entre 1969 e 1972. Depois disso, contudo, ninguém mais voltou lá. Como esta jornada incrível foi acontecer e por que não se repetiu até hoje? Seria assunto para um livro inteiro, mas não temos todo esse tempo agora. Então, em comemoração ao 48° aniversário da histórica missão, o Mensageiro Sideral traz apenas um (longo) resumo da ópera.
No mais novo episódio de CONEXÃO SIDERAL, Buzz Aldrin relembra momentos da jornada. Logo depois, confira a incrível história de como humanos pela primeira vez deixaram nosso planeta para fazer a jornada até a Lua. E, para os bravos guerreiros que chegarem até o final do texto, algumas respostas para perguntas comuns sobre as famosas viagens que, sim, real e indiscutivelmente aconteceram.
PERGUNTAS QUE INSISTEM EM NÃO CALAR
1- Se realmente os americanos foram à Lua entre 1968 e 1972, por que jamais retornaram?
São basicamente duas as razões. A principal é custo. Com o fim da corrida espacial, não havia motivação suficiente para gastar o que seria necessário para manter ou expandir o Projeto Apollo. Na verdade, o grande projeto seguinte adotado pelos americanos foi o dos ônibus espaciais, justamente na esperança de reduzir o custo das missões espaciais. Não deu certo, os ônibus, apesar de reutilizáveis, se mostraram caros demais, e por isso nunca sobrou dinheiro para sequer tentar uma volta à Lua – até agora. Recentes evoluções da tecnologia, como os foguetes reutilizáveis (e baratos) da SpaceX de Elon Musk, e novas diretrizes estratégicas, como a aposentadoria dos ônibus espaciais, humanos brevemente estarão de volta à órbita lunar. Certamente isso acontecerá antes de 2025.
2- Quem filmou a descida de Neil Armstrong à superfície, se ninguém estava lá antes dele chegar?
A câmera de TV era instalada do lado de fora do módulo lunar e era posicionada e ativada pelo astronauta na descida pela escada. Depois que ela foi ativada e controle da missão confirmou a recepção das imagens, Armstrong recebeu a autorização para descer os últimos degraus da escala e marcar sua bota no solo lunar.
3- E as inconsistências nas imagens, que mostram a bandeira tremulando, sombras não paralelas e penumbra sem atmosfera?
Essas ditas “inconsistências” na verdade são totalmente consistentes com a realidade lunar. Uma observação atenta das imagens mostra que a bandeira não tremula realmente, mas apenas balança respondendo à vibração do mastro conforme os astronautas a fincam no solo. As sombras são tão paralelas quanto possível num terreno irregular e acidentado. Qualquer observação de sombras sob o Sol, na Terra, mostrará que elas não se mostram paralelas sobre um terreno que não é plano. E é falsa a ideia de que a regiões não iluminadas diretamente pelo Sol deveriam ser completamente escuras na Lua. A questão da penumbra não tem nada a ver com a presença ou não da atmosfera, mas sim com a presença de fontes secundárias de luz. Quaisquer objetos que refletissem luz – como a superfície da Lua ou mesmo as roupas brancas dos astronautas – serviriam para iluminar parcialmente o ambiente na sombra.
4- E aquele papo de a Nasa ter perdido as imagens da missão Apollo 11?
Há um grande exagero nessa “perda”. As missões foram registradas com câmeras de filme fotográfico de altíssima qualidade, e nenhum dos vídeos ou fotografias obtidos assim foi perdido. A única coisa que a Nasa, por acidente, apagou foi a fita magnética que estava gravando o sinal original de TV recebido da Lua para a transmissão ao vivo. Uma estupidez, mas nada chocante, levando em conta que essas imagens já tinham baixa qualidade mesmo na versão original e se prestavam somente para exibição ao vivo. Ainda assim, a agência espacial americana fez grande esforço para “remasterizar” esse material, a partir de incontáveis cópias disponíveis em vários arquivos de TV espalhados pelo mundo, de forma que não há um segundo sequer da missão que não tenha seu vídeo hoje disponível.
5- E a entrevista do Stanley Kubrick no YouTube dizendo que ele filmou a missão Apollo 11 num estúdio?
Essa é uma das coisas mais bizarras da era “fake news”. O sujeito não se parece com Stanley Kubrick, não fala como Stanley Kubrick, mas tem gente que acredita que seja Stanley Kubrick. O mais engraçado é que no YouTube mesmo você pode encontrar trechos cortados dessa “entrevista” em que o diretor indica ao ator/“Kubrick” o que dizer e como se comportar para a câmera. É o nível de desonestidade típico dos negacionistas contumazes dos pousos lunares.
6- Os cinturões de Van Allen impediriam qualquer missão além da órbita da Terra! Por isso, as missões são falsas!
OK, vá dizer isso às tartarugas russas que viajaram na Zond 5 soviética e deram a volta na Lua em 1968! Na verdade, James Van Allen (e não Van Halen, pelamordezeus) era cientista envolvido com o primeiro satélite artificial da Nasa, o Explorer 1! Ele foi o responsável, em 1958, pela descoberta dos cinturões de radiação gerados pela interação do vento solar com o campo magnético da Terra, que já eram relativamente bem caracterizados na época das missões Apollo. Elas foram projetadas para reduzir ao mínimo a exposição dos astronautas aos cinturões, escolhendo o melhor ângulo para saída da Terra e fazendo a travessia rapidamente. Com efeito, medições foram feitas da exposição dos astronautas à radiação durante as missões e ficou constatado que nenhum deles chegou a sofrer exposições elevadas à radiação. (E temos de lembrar que a Estação Espacial Internacional rotineiramente cruza o mais baixo dos cinturões quando sobrevoa a Anomalia Magnética do Atlântico Sul, uma região em que a radiação deles atinge altitude menor, por razões ainda pouco compreendidas. Ninguém morre de envenenamento radioativo lá.)
7- E o jipe? Como podia caber o jipe grandão no módulo lunar?
O jipe só compôs as missões Apollo 15, 16 e 17. Ele era dobrável e ia numa área de armazenamento do lado de fora do módulo lunar. Os astronautas treinaram na Terra para retirá-lo e desdobrá-lo, e há vídeos tanto do treinamento em solo como da retirada do jipe na Lua. Não é um mistério que resista a uma simples busca de boa-fé no Google.
8- Quem podia filmar a decolagem do módulo lunar se ninguém ficava na Lua?
As decolagens só foram filmadas nas missões Apollo 15, 16 e 17, e o segredo para isso era o jipe, que tinha uma câmera, bateria e uma antena para comunicação com a Terra. Assim, a câmera podia ser controlada remotamente para acompanhar a subida do módulo de ascensão, e as imagens podiam ser enviadas para nós. O difícil era sincronizar o apontamento, por conta do atraso de mais de um segundo entre o comando ser transmitido daqui e chegar até lá. Ou seja, o controlador tinha de ordenar o movimento mais de um segundo antes para a gravação dar certo. E esse sucesso de sincronização só veio com a Apollo 17, num vídeo incrível que mostra o módulo subindo, subindo e subindo, bem mais que o teto de qualquer estúdio de Hollywood.
9- Mas se havia esse atraso nas comunicações, como seria de se esperar, como podem os astronautas conversarem em tempo real com o controle da missão?
Não podem, e não conversam. Há um atraso de alguns segundos entre perguntas e repostas, que pode ser notado com clareza nos áudios originais da Nasa. Às vezes, pelo atraso, eles falam uns por cima dos outros! Evidentemente, para apresentações em programas de TV, muitas vezes o silêncio é cortado para ganhar tempo e dar dinamismo à narrativa. Mas quem viu ao vivo sabe que havia atraso entre as falas. (Confira aqui uma recriação em tempo real do pouso da Apollo 11, que mostra isso!)
10- Por que os astronautas parecem caminhar como se fosse um vídeo exibido em câmera lenta?
A Lua tem gravidade que é um sexto da terrestre, o que exigiu adaptação dos astronautas para caminharem com mais eficiência por lá. Isso resulta nos movimentos observados. Não pense, contudo, que foi só glamour. Conforme as missões foram se sucedendo e os exploradores foram ganhando confiança, começaram a tentar movimentos mais casuais e não raro levaram capotes incríveis em solo lunar (como este da Apollo 16). Para se levantar, tinham de fazer manobras impensáveis – que nenhum truque de câmera lenta poderia reproduzir.
11- Por que não há uma cratera sob o módulo lunar, uma vez que seu motor-foguete foi usado para o pouso?
Os pés do módulo lunar tinham uma haste de quase 2 metros que sinalizava a proximidade com o solo para o desligamento do motor. Assim que ela tocasse o chão, uma luz de contato se acendia na cabine, e o motor era desligado. O último metro e meio de descida era feito em queda livre, com motor desligado. Ou seja, não houve grande exposição do solo à exaustão da tubeira. E o efeito foi ainda mais reduzido pelo fato de o módulo estar realizando um deslocamento horizontal até o momento do pouso.
12- E por que os pés do módulo lunar não afundaram mais no solo, considerando que ele desceu em queda livre o último metro e meio?
Cair na Terra é seis vezes mais agressivo do que cair na Lua. O incremento de velocidade pela gravidade lá era bem pequeno, e o módulo lunar em si pesava um sexto na Lua do que na Terra. Tudo isso contribui para não haver grande afundamento — apenas alguns centímetros — dos pés. Isso sem falar que as hastes de contato se colocavam por baixo dos pés no pouso, reduzindo ainda mais o quanto eles seriam capazes de afundar. (Repare no tamanho da haste e em como ela ficava sob o pé do módulo na foto que abre este texto!)

13- E as estrelas, por que não há estrelas nas fotos?
As câmeras fotográficas estavam reguladas para registrar os detalhes da superfície lunar, não as estrelas. Embora o céu seja escuro pela falta de atmosfera, é preciso lembrar que era dia na Lua, e o solo lunar brilhava vivamente refletindo a luz solar. Mais ainda os trajes brancos dos astronautas. A luz das estrelas era comparativamente muito mais fraca, e só registraria nas câmeras se o filme fosse exposto por muito mais tempo — e aí todas as imagens do solo lunar pareceriam ser um brancão estourado e indistinto. Confira o vídeo a seguir para entender melhor o que se passa. 

CIDADANIA: DECRETO DISPENSA AUTENTICAÇÃO PARA CÓPIAS EM CARTÓRIO

Temer sanciona decreto para desburocratizar serviços no setor público
Decreto foi publicado no 'Diário Oficial da União' e prevê que órgãos busquem documentos em outras repartições para acelerar atendimento a pessoas físicas e jurídicas.

O presidente Michel Temer sancionou nesta terça-feira (18) um decreto que visa diminuir a burocratização dos serviços prestados pelo setor público. O decreto foi publicado no "Diário Oficial da União".

Entre as medidas previstas, está a obrigação dos órgãos buscarem documentos em outras repartições quando precisarem de algum arquivo, e não exigirem que a pessoa física ou jurídica tenha de apresentar o arquivo.

De acordo com o Ministério da Transparência, o decreto tem como objetivo estimular a gestão interna dos órgãos públicos e tornar os procedimentos de trabalho mais produtivos.

Para o contador Haroldo Figueiredo, a unificação de todo o sistema público tende a melhorar a vida da população que depende dos serviços para conseguir emitir certidões e documentos.

"Do jeito que está hoje em dia é muito complicado. Para conseguir emitir um alvará de funcionamento, por exemplo, as empresas levam semanas. E sem o alvará, não se pode abrir as portas e faz com que o empresário não tenha renda. É um prejuízo para o mercado", afirmou.

Em 2016, um estudo feito por um grupo de trabalho, criado pelo ministério para analisar o impacto da burocratização no atendimento ao cidadão, detectou que, à época, 70% dos municípios brasileiros ainda não conseguiam realizar uma integração entre os órgãos para reduzir o tempo de espera para a abertura de empresas.

Desse total, Salvador, Goiânia, Curitiba, Recife, Porto Alegre, Florianópolis, São Paulo e Palmas ainda integravam as estatísticas de cidades sem comunicação entre os órgãos municipais. E os estados de São Paulo, Mato Grosso e Pernambuco sequer estavam integrados com a Receita Federal.

Na contramão da maioria dos municípios, Brasília conseguiu unificar o processo de comunicação entre os órgãos para a prestação de serviço de abertura e fechamento de empresa e o empresários, que antes esperavam cerca de 83 dias para ter a documentação liberada. Agora resolvem com 15 dias.

Autenticação de documentos

Outro ponto de alteração promovido pelo decreto é o fim da exigência do reconhecimento de firma e autenticação de documentos expedidos no Brasil para "fazer prova junto a órgãos e entidades do Poder Executivo Federal" e a autenticação.

Também poderá ser feita a autenticação de documentos a partir de uma cópia autenticada, sem que seja necessário a apresentação de uma via original.

Resultado de imagem para imagens autenticação

Figueiredo também acredita que o fim da exigência de documento original para autenticação de papéis vai facilitar o trabalho, já que despachantes e contadores nem sempre possuem as vias originais dos clientes em mãos.

"Quando uma empresa abre as portas, precisamos pegar toda a documentação dos sócios para fazer o trâmite, mas geralmente eles não entregam os documentos pessoais, porque são necessários para o dia-a-dia. Pelo menos agora, com a possibilidade de usar vias autenticadas para validar um documento, vai ser uma dor de cabeça a menos pra gente", afirmou.

Análise da situação

O grupo de trabalho foi criado especificamente para analisar o impacto da burocratização no atendimento oferecido pelo Instituto Nacional de Seguro Social (INSS) na concessão de aposentadoria e para o processo de abertura e fechamento de micro e pequenas empresas.

Dentre as análises feitas, o grupo verificou inúmeros problemas no sistema de trabalho de fornecimento desses serviços. Entre eles, a dificuldade de agendamento de datas para atendimento presencial. Durante a avaliação, a data mais próxima para atendimento era de sete meses.

Já para a abertura e fechamento de empresas, o problema identificado foi o de ausência de integração entre os órgãos para acelerar o processo e diminuir o prazo.


quarta-feira, 19 de julho de 2017

COTIDIANO: LIVRO RETRATA A FARSA DO AMBIENTALISMO

Psicose Ambientalista desvenda farsas criadas pelos ambientalistas radicais e pelos ecoterroristas.
A imagem pode conter: texto
Você sabia que não existe comprovação cientifica de que o aquecimento global é criado pelo homem? Você sabia que o CO2 – que para os “ambientalistas” é o responsável pelo aumento da temperatura média do ar e dos oceanos – é benéfico para o homem e para o animal?
E tem muito mais! O que está por trás dos estrategistas verdes? Quais suas intenções e porque divulgam essas mentiras?
Se você quer saber toda a verdade oculta pelos Ecoterroristas, o livro Psicose Ambientalista é leitura obrigatória.
Não há dúvida de que o homem deva usar os recursos da natureza corretamente.
Assim como não há dúvida de que ele nem sempre o faz. Porém, os Ecoterroristas ou Ecoxiitas – como você preferir – querem impor ao homem um estilo e uma condição de vida que o tornam escravo da natureza.
Essa é a chamada Psicose Ambientalista que quer conduzir o Brasil e o mundo para um verdadeiro suicídio coletivo.
Isso mesmo: suicídio coletivo! Essa foi a fonte de inspiração do Instituto Plínio Corrêa de Oliveira na edição do livro Psicose Ambientalista - Os bastidores do ecoterrorismo para implantar uma “religião” ecológica, igualitária e anticristã, elaborado pela Comissão de Estudos Ambientais deste Instituto, sob a orientação de Dom Bertrand de Orleans e Bragança, Príncipe Imperial do Brasil e descendente da Princesa Isabel.
Outro fator motivador para a edição da obra é que, infelizmente, o seu conteúdo não foi, não é e provavelmente nem será divulgado pela grande mídia, que faz questão de esconder a verdade.
Os Ecoterroristas têm objetivos escusos, como acabar com o capitalismo, com o direito de propriedade, impor limites ao progresso econômico e substituir a Lei de Deus pela Carta da Terra.
Mas a verdade acaba de vir à tona.

terça-feira, 18 de julho de 2017

RELIGIÃO: 20 FILMES QUE VÃO AJUDAR VOCÊ A ENTENDER A VIDA

20 filmes espiritualistas que você precisa ver, e que vão te fazer sentir e pensar

Como dica, separamos 20 filmes espíritas importantes para quem deseja um entretenimento com um olhar sobre a doutrina espírita e suas crenças:

1- Nosso Lar (2010)
Dirigido por: Wagner de Assis
https://t.dynad.net/pc/?dc=5550003378;ord=1500401220850
Após a morte do seu corpo físico, famoso médico acorda no mundo espiritual e vai viver numa colônia que paira sobre a Terra, onde terá que aprender novos valores morais e vencer a saudade da família na Terra.
2- Chico Xavier (2010)
     Dirigido por Daniel Filho  


Chico Xavier é uma adaptação para o cinema que descreve a trajetória do médium Chico Xavier, que viveu 92 anos desenvolvendo importante atividade mediúnica e filantrópica. Vida conturbada, com lutas e amor. Seus mais de 400 livros psicografados, consolaram, pregaram a paz e estimularam caridade. Fenômeno? Fraude? Os Espíritos existem? Para os admiradores mais fervorosos, foi um santo. Para os descrentes, no mínimo, um personagem intrigante.
3- Bezerra de Menezes: O Diário de um Espírito (2008)
Dirigido por: Glauber filho e Joe Pimentel
O universo sertanejo permeia a trama dessa cine-biografia de Bezerra de Menezes desde sua infância, passando pela adolescência até a vida adulta. Aos dezoito anos, o protagonista inicia no Rio de Janeiro seus estudos de medicina. Na então Capital da República, elegeu-se vereador e deputado em várias legislaturas e defendeu as idéias abolicionistas. Mas o que lhe trouxe o maior reconhecimento de seu povo foi o trabalho anônimo realizado em prol dos desfavorecidos. Por conta disso, ficou conhecido como o “Médico dos Pobres”. Seja como político devotado às causas humanitárias ou como médico conhecido por jamais negar socorro a quem batesse à sua porta, Bezerra de Menezes tornou-se um exemplo de homem e escreveu uma história de vida marcada pelo amor e pela caridade.
4- E a vida continua (2012)
Dirigido por: Paulo Figueiredo


Quando o carro da bela e jovem Evelina (Amanda Costa) quebra na estrada, ela não faz ideia de como seus caminhos serão profundamente alterados para sempre. Socorrida pelo gentil Ernesto (Luiz Baccelli), Evelina logo fica sabendo que tanto ele como ela estão indo exatamente para o mesmo hotel. Coincidência? Talvez, mas Ernesto não acredita em coincidências. Imediatamente eles desenvolvem uma amizade tão sólida que persistirá quando ambos passam para o outro plano. Será ali, do outro lado da vida, que Evelina e Ernesto enfrentarão enormes dificuldades e desafios, onde não faltarão surpresas e surpreendentes revelações?
5- Minha vida na outra vida
Dirigido por: Marcus Cole

Pela primeira vez na história, um filme retrata, com fidelidade, lógica e respeito, a reencarnação, tema de interesse de milhões de pessoas em todo o mundo. Baseado em fatos reais relatos no livro autobiográfico de Jenny Cockell, Minha Vida na Outra Vida conta a história de Jenny, uma mulher do interior dos Estados Unidos, que tem visões, sonhos e lembranças de sua última encarnação, como Mary, uma mulher irlandesa que faleceu na década de 30. Intrigada, Jenny sai em busca de seus filhos da vida passada. Tem início uma jornada emocionante. Jenny é magistralmente interpretada pela renomada atriz Jane Seymour, de Em Algum Lugar do Passado. Só, que desta vez, não se trata de ficção, mas de realidade.
6- A data limite de Chico Xavier (2014)
Documentário

Especialistas em ufologia afirmam que após a explosão das bombas de Hiroshima e Nagasaki, houve um aumento considerável no número de avistamentos de OVNIs (Objetos voadores não identificados) em todo o mundo.

Pouco mais de duas décadas depois, o médium brasileiro Chico Xavier confidenciava aos companheiros mais próximos que, por ocasião da chegada do homem à Lua em 20 de julho de 1969, acontecera uma reunião com as potências celestes de nosso sistema solar para verificar o avanço da sociedade terrena. Decidiram pois, conceder à humanidade um prazo de 50 anos para que evoluísse moralmente e convivesse em paz, sem provocar uma terceira guerra mundial.


Se assim convivesse até a Data Limite, a humanidade estaria, a partir de então, pronta para entrar numa nova era de sua existência, e feitos magníficos seriam verificados por toda a parte, inclusive os nossos irmãos de outros planetas estariam autorizados expressamente a se apresentarem pública e oficialmente para os habitantes da Terra.
7- Causa e Efeito (2014)
Dirigido por: André Morouço
O filme é um drama espírita que conta a história de Paulo, um policial que tinha uma vida tranquila até que um motorista alcoolizado atropela e mata sua esposa e filho. O motorista não é preso e revoltado Paulo torna-se justiceiro. Contratado para dar fim a uma garota de programa chamada Madalena, ele se sensibiliza com a história dela e coloca-se em fuga com a moça. Na fuga, o casal se apaixona e juntos reajustam suas condutas de vida, auxiliados por um trio de religiosos: um padre, um pastor e um espírita. Ao longo da trama os protagonistas alcançam o amor, a paz e a iluminação.
8- O filme dos espíritos (2011)
Dirigido por: André Mouroço
O filme conta a história de Bruno Alves que, por volta dos 40 anos, perde a mulher e se vê completamente abalado. A perda do emprego se soma à sua profunda tristeza e o suicídio lhe parece a única saída. Nesse momento, ele entra em contato com O Livro dos Espíritos, obra basilar da doutrina espírita. Há também uma dedicatória no exemplar: “esta obra salvou-me a vida. Leia-a com atenção e tenha bom proveito.” A partir daí, o protagonista da história começa uma jornada de transformação interior rumo aos mistérios da vida espiritual.
9- Antes que termine o dia (2004)
Dirigido por: Gil Junger
Ian (Paul Nicholls) e Samantha (Jennifer Love Hewitt) formam um casal feliz e cheio de planos para o futuro. Enquanto Samantha busca demonstrar seu amor a todo momento, Ian procura voltar sua atenção para a carreira e os amigos. Após um dia em que tudo deu errado, eles terminam o namoro. Entretanto um acidente faz com que a vida deles mude de rumo. No dia seguinte Ian percebe que acordou novamente no dia anterior, tendo a chance de refazer tudo o que tinha feito antes, só que agora da forma correta.
10- O sexto sentido (1999)
Dirigido por: M. Night Shyamalan
O psicólogo infantil Malcolm Crowe (Bruce Willis) abraça com dedicação o caso de Cole Sear (Haley Joel Osment). O garoto, de 8 anos, tem dificuldades de entrosamento no colégio e vive paralisado de medo. Malcolm, por sua vez, busca se recuperar de um trauma sofrido anos antes, quando um de seus pacientes se suicidou na sua frente.
11- A casa dos espíritos (1993)
Dirigido por: Billie August
A história do Chile da década de 20 aos anos 70 é contada através da saga da família Trueba, que começa com a união de um homem simples (Jeremy Irons), que fica rico, com uma jovem (Meryl Streep) de poderes paranormais. A saga se desenvolve até esta família ser atingida pelo golpe militar, que no início da década de 70 derrubou o presidente Salvador Allende.
12 – As cinco pessoas que você encontra no céu (2004)
Dirigido por: Lloyd Kramer
Eddie era um jovem que cresceu em meio a guerras, trabalho árduo e uma educação rígida. No dia em que completa 83 anos, ele sofre um acidente no parque de diversões onde trabalhou a vida inteira. Quando ele se dá por si, tudo o que ele sente é que passou uma vida sem propósito, sem rumo….E o que se sucede é uma revisitação de sua vida por 5 pessoas, umas que ele conhece, outras que ele não tinha a menor ideia de quem eram, mas cujas vidas estavam de alguma forma ligadas à dele. Cada uma dessas pessoas revê com Eddie uma passagem de sua vida, resolvendo antigos mistérios, dissolvendo antigas mágoas, revivendo antigos amores. A cada experiência fica mais claro a grande importância de Eddie na vida de milhares de pessoas sem que ele se desse conta, provando que cada vida está ligada a outra de formas que muitas vezes não entendemos.
13- Os outros (2001)
Dirigido por: Alejandro Amenábar
Durante a 2ª Guerra Mundial, Grace (Nicole Kidman) decide por se mudar, juntamente com seus dois filhos, para uma mansão isolada na ilha de Jersey, a fim de esperar que seu marido retorne da guerra. Como seus filhos possuem uma estranha doença que os impedem de receber diretamente a luz do sol, a casa onde vivem está sempre em total escuridão. Eles vivem sozinhos seguindo religiosamente certas regras, como nunca abrir uma porta sem fechar a anterior, mas quando eles contratam empregados para a casa eles terminam quebrando estas regras, fazendo com que imprevisíveis consequências ocorram.
14- O Mistério da Libélula (2002)
Dirigido por: Tom Shadyac
Joe Darrow (Kevin Costner) é um médico que ficou viúvo recentemente e acredita que sua falecida esposa, Emily (Susana Thompson) esteja tentando falar com ele do mundo dos mortos, usando para isso pacientes que estejam à beira da morte. Além disto, Joe passa a ser perseguido por estranhas e misteriosas libélulas, que o fazem se lembrar cada vez mais da falecida esposa.
15- A casa do lago ( 2006)
Dirigido por: Alejandro Agresti
Kate Forster (Sandra Bullock) é uma médica solitária, que morava em uma casa à beira de um lago. Hoje esta casa é ocupada por Alex Wyler (Keanu Reeves), um arquiteto frustrado. Kate passa a trocar cartas com Alex, com quem mantém um relacionamento à distância por 2 anos. É quando, ao se descobrirem apaixonados um pelo outro, eles buscam um meio de se encontrar.
16- Amor além da vida
Dirigido por: Vincent Ward
Em “Amor Além da Vida”, o céu não é simplesmente um espaço branco e cercado por nuvens. É, então, em um cenário que lembra os traços de uma pintura fresca para onde Chris Nielsen (Robin Williams) vai após sua morte. Tudo perfeito, até ficar sabendo que sua mulher, Annie (Annabella Sciorra), não aguentou a dor de ficar sozinha e se matou. Como suicida, ela é enviada a um local obscuro, distante dele, e não será mais capaz de reconhecê-lo caso o encontre. Mas isso não o impede de ir atrás de seu grande amor.
17- Ghost – Do Outro Lado da Vida
Dirigido por: Jerry Zucker
“Ghost – Do Outro Lado da Vida”, que ganhou o Oscar de melhor roteiro original e melhor atriz coadjuvante, encanta até mesmo quem não é adepto do espiritismo. O longa conta a história de amor do casal Sam (Patrick Swayze) e Molly (Demi Moore) que vivem juntos na cidade de Nova Iorque. Após um assalto, Sam acaba morto, mas permanece como fantasma na terra e mantém contato com Molly através de uma falsa médium.
18- Passageiros (2009)
Dirigido por: Rodrigo García
Claire Summers (Anne Hathaway) é uma jovem terapeuta designada por Perry (Andre Braugher), seu mentor, a dar orientação psicológica aos cinco sobreviventes de um terrível acidente aéreo. Ela enfrenta problemas ao ser confrontada por Eric (Patrick Wilson), que recusa sua ajuda e usa o acidente para tentar cortejá-la. Isto faz com que, paralelamente, Claire lute contra as iniciativas de Eric e os demais pacientes enfrentem dificuldades com as lembranças do acidente, distintas das explicações oficiais fornecidas pela companhia aérea.
19-Um olhar do Paraíso (2009)
Dirigido por: Peter Jackson
Após ser brutalmente assassinada aos 14 anos, Susie Salmon (Saoirse Ronan) continua preocupada em cuidar da sua família. Presa em um espaço entre o céu e o inferno, ela precisa lidar com um paradoxo de sentimentos: o desejo de vingança contra seu assassino e a vontade de ver sua família seguir com a vida em frente e superar sua morte traumática.
20- Além da Eternidade (1989)
Dirigido por: Steven Spielberg
Neste filme de Steven Spielberg, Pete Sandich (Richard Dreysfuss) é um piloto que costuma abusar da sorte com manobras arriscadas. Em uma de suas missões, após salvar seu melhor amigo, seu avião pega fogo e explode. Morto, ele encontra um anjo, que explica que a sua função agora é justamente ajudar outros pilotos quando eles mais precisarem, como uma espécie de anjo da guarda.