quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

SUA INTERNET ESTÁ SENDO ROUBADA? VEJA COMO DESCOBRIR


Dúvida do leitor: como saber se minha internet está sendo 'roubada'?
Aline Mariano Do UOL, em São Paulo
O leitor Batista entrou em contato com oUOL Tecnologia para entender o motivo de sua internet sem fio estar agindo de forma estranha. De acordo com o internauta, entre diversos outros problemas, seu acesso à web está cada dia mais lento. Ele acredita que algum de seus vizinhos esteja utilizando sua rede e gostaria de saber como proceder.

Se tiver alguma dúvida sobre tecnologia, envie um e-mail para uoltecnologia@uol.com.br, que ela pode ser respondida.

De acordo com Leandro Vasques, gerente de produtos da Multilaser, as causas da lentidão podem ser três. O representante da fabricante de roteadores conta que, em vista das ocorrências mencionadas, um cabo solto, firmware (programa associado a um equipamento) ultrapassado ou roubo da rede por terceiros podem ser os vilões de Batista.
Foto 1 de 13 - Você é capaz de dizer se um firewall substitui um antivírus? E se o computador do usuário está sujeito a ser infectado só de visitar uma página da web? Por mais que especialistas banquem mães digitais e alertem "instale um antivírus, menino", as dúvidas quanto à segurança são sempre presentes. Por isso, o UOL Tecnologia desvenda a seguir 12 mitos e verdade sobre segurança digital; confira: Arte/UOL

Foto 2 de 13 - Dois antivírus funcionam melhor que um 
Dois antivírus instalados no computador competem entre si, deixam o sistema mais lento e abrem brecha para que a funcionalidade de um anule a proteção do outro. Em alguns casos, instalar dois softwares dessa categoria é impossível. Na teoria, o banco de dados de um antivírus atualizado deve ser igual ao de seus concorrentes. O que muda, portanto, são detalhes de desempenho e configuração. Escolha o mais apropriado para suas necessidades e imunize sua máquina.

Foto 3 de 13 - É possível ser infectado apenas visitando uma página
Da mesma forma que mensagens de e-mails podem contar scripts maliciosos, os sites podem conter códigos da mesma natureza que são reconhecidos automaticamente pelo navegador. Muitas vezes, esses códigos são inseridos inadvertidamente em sites populares, o que aumenta ainda mais o risco. Manter o navegador e o antivírus atualizados é uma forma de evitar o problema.

Foto 4 de 13 - Vírus podem destruir fisicamente o hardware
Os malwares não têm a capacidade de causar danos físicos diretos à máquina, mas podem induzir algum componente do computador à exaustão ou mesmo alterar os códigos nativos de placas e outras peças. Em alguns desses casos, o usuário pode perder para sempre o componente afetado

Foto 5 de 13 - Um firewall funciona como um antivírus
Um firewall é complementar ao antivírus e em hipóteses alguma pode substituí-lo. Os firewalls são programas utilizados para evitar que conexões suspeitas e não autorizadas vindas da internet tenham acesso ao computador do usuário. Grande parte dos antivírus possui bons firewalls. Mesmo assim, os sistemas operacionais contam com uma versão nativa do "escudo digital"

Foto 6 de 13 - Abrir e-mails sem abrir anexo pode ser perigoso

Essa afirmação exige um detalhe técnico. De acordo com Cristine Hoepers, analista de segurança do Cert.br (setor de segurança do Comitê Gestor da Internet no Brasil), algumas mensagens podem vir com códigos maliciosos chamados de scripts embutidos no texto da mensagem. Se o programa usado para ler e-mails está configurado para interpretar scripts automaticamente, a máquina do usuário poderá ser infectada. Desabilite a função (nas configurações de auto execução do Windows, por exemplo) e mantenha o software sempre atualizado


Foto 7 de 13 - Vírus podem deixar o computador lento
"Tá uma carroça. Deve ser vírus." A frase anterior é quase um dito popular. E quem diz isso está com a razão. Alguns programas maliciosos utilizam a máquina do usuário remotamente para abusar da capacidade de processamento do computador e, entre outras atividades, propagar spams. Além disso, os malwares podem utilizar parte da banda larga do usuário para trocar informações, causando a impressão de que o sinal da internet está debilitado. Portanto, por mais "pesado" que seja um antivírus, é melhor mantê-lo em funcionamento a ter de arcar com as consequências de uma invasão

Foto 8 de 13 - Os antivírus protegem contra todo tipo de ameaça

Os antivírus são essenciais, mas não são eficazes como malwares, adwares, spywares ou trojans. Existem programas específicos para esses outros tipos de ameaça. O ideal é manter os dois tipos de softwares instalados e atualizados


Foto 9 de 13 - Um programa malicioso pode ficar alojado no sistema sem ser notado
Há muita verdade nesta afirmação. Aliás, a maioria das ameaças utiliza essa técnica hoje. Quanto mais "imperceptível" for o invasor, mais danos ele conseguirá executar sem ser notado. Foi-se o tempo em que hackers criavam vírus apenas para importunar os usuários. A crescente demanda de comércio eletrônico e gerenciamento de conta bancária por meio da web têm atraído a ação dos criminosos. Não se esqueça de executar uma verificação em todo o sistema periodicamente

Foto 10 de 13 - Antivírus pagos são mais eficazes
Os antivírus pagos costumam oferecer recursos mais sofisticados, que integram outros softwares e facilitam a vida do usuário. Ainda assim, os sistemas de proteção dos softwares gratuitos são tão eficazes quanto, desde que sejam atualizados periodicamente. Segundo Cristine Hoepers, analista de segurança do Cert.br (setor de segurança do Comitê Gestor da Internet no Brasil), não existe um antivírus que proteja o computador contra 100% das ameaças, seja ele pago ou gratuito. Mesmo assim a ferramenta é indispensável

Foto 11 de 13 - Um vírus pode vir embarcado em um arquivo (ex: JPG, WMV, PDF)
Segundo Cristine Hoepers, analista de segurança do Cert.br (setor de segurança do Comitê Gestor da Internet no Brasil), é possível introduzir códigos maliciosos dentro de arquivos. Esses códigos exploram versões vulneráveis dos softwares utilizados para abri-los. Por isso é tão importante manter os programas sempre atualizados, já que atualizações surgem periodicamente e visam diminuir os riscos

Foto 12 de 13 - Usar computadores públicos é mais perigoso
Talvez "perigoso" não seja a palavra correta, mas fato é que o usuário não tem o controle dos softwares de um computador público. Sendo assim, o sistema está mais suscetível a abrigar arquivos mal-intencionados, que captam informações confidenciais como contas e senhas. Evite acessar redes sociais e contas de e-mail em locais públicos

Foto 13 de 13 - Os pendrives podem propagar vírus e outras ameaças
Os crackers abusam do poder de mobilidade do pendrive e desenvolvem ameaças capazes de alojarem-se na unidade de memória (no caso o pendrive) assim que plugada ao computador. Dica: faça uma verificação nas unidades de memória sempre que possível (no gerenciamento do antivírus é possível escolher a verificação para unidades específicas) e desabilite funções do sistema operacional que executam os arquivos do pendrive automaticamente




Um cabo de rede mal encaixado ou com problemas de contato costuma causar lentidão. Para resolver isso, basta tirá-lo do conector do roteador e encaixá-lo novamente. Faça isso e depois use a internet. Se a conexão voltou ao normal, então era esse o problema.
Se isso não resolver, é o caso de atualizar o firmware do roteador. Um firmware é uma espécie de programa que permite a diversos eletrônicos realizar operações básicas. Muitas vezes, esses equipamentos necessitam que seus firmware sejam atualizados para funcionarem normalmente.
Para tanto, basta pegar o modelo do roteador (normalmente, ele está especificado no próprio corpo do aparelho), acessar o site do fabricante, baixá-lo e instalá-lo no modem, por meio do PC conectado a ele.
Como o leitor não informa qual é seu modelo de roteador, é impossível mostrar o passo a passo de como realizar a instalação do firmware. Entretanto, duas das mais populares empresas fabricantes de roteadores do mundo mantêm vídeos e tutoriais ensinando a realizar a tarefa.
A D-Link, que aqui mantém sua página para download de firmware, mostra como realizar o procedimento neste link, por meio de vídeos. Já a Linksys tem aqui sua página de downloads. Neste link, um tutorial genérico.
Senha
Caso o problema de lentidão não esteja relacionado a um cabo frouxo ou o firmware, então a terceira possibilidade pode ser mesmo o "roubo" da rede por parte de algum vizinho. Nesse caso, a implementação de uma senha mais forte pode resolver a situação. Por meio do Painel de Controle do Windows 7, é possível visualizar quem está conectado à rede.
Siga o passo a passo para descobrir:
1. Vá ao menu Iniciar e clique em Painel de Controle;
2. Clique em Rede e Internet;
3. Selecione a opção Exibir computadores e dispositivos de rede;
4. Veja quantos e quais computadores estão conectados. Se for necessário, mude a senha para que sua internet não seja mais roubada.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Qual sua opinião sobre isso?