segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

CEROL: BRINCADEIRA DE CRIANÇA OU CASO DE POLÍCIA?

CEROL: BRINCADEIRA DE CRIANÇA OU CASO DE POLÍCIA?

 Do blog
Jorge, por milagre, não teve sua cabeça decepada por uma linha com cerol
 Na última sexta-feira, em Altamira, foi registrado mais um caso gravíssimo, relacionado com a brincadeira de empinar pipa que, geralmente acontecem no período de férias nas escolas.


Um cidadão que trafegava em uma moto, foi atingido por uma linha com cerol, na região do pescoço e, milagrosamente, não teve sua cabeça decepada. Caso o condutor estivesse em maior velocidade, fatalmente teria morrido.

O que parece, a princípio, não preocupar as autoridades e mesmo a sociedade, esconde, na verdade, uma omissão grave por parte de todos: autoridades, pais e filhos.

Cerol: brincadeira de criança ou caso de polícia?
Soltar pipas ou papagaios, como queiram, dentro de um perímetro urbano ou locais de grande movimento, é inadmissível por vários aspectos, porém torna-se mais grave, quando se torna uma verdadeira tentativa de assassinato, quando estas linhas, em sua maioria, estão incrustadas de vidros e cola ( cerol ), se tornando verdadeiras navalhas. A grosso modo, seria o mesmo que um assassino esperar sua vítima em uma esquina, portando uma faca afiada.

Acredito que as autoridades policiais e judiciárias poderiam estudar medidas para proibição de tais “brincadeiras” nos perímetros urbanos ou locais de grande movimento, limitando-as aos campos de futebol ou áreas abertas, onde não haja trânsito maior de pessoas. Fica a dica!


TRÂNSITO: PAGAMENTO DE PENSÃO PARA OS IRRESPONSÁVEIS NO VOLANTE

Motorista que causar acidente com morte pode ter que pagar pensão


Causador do acidente que levar a morte ou invalidez vai ser processado e, se condenado, o INSS vai cobrar dele a pensão da vítima ou da família.

O INSS quer que os motoristas que causem acidentes banquem, do próprio bolso, a pensão por morte ou invalidez das vítimas. A reportagem especial deste domingo (29), sobre o custo dos acidentes nas estradas, é de Édson Ferraz e Lúcio Alves.

O centro de controle do Distrito Federal recebe mais um chamado numa manhã de sábado. Médico e enfermeiro são despachados de helicóptero ao local do acidente e encontram uma cena, infelizmente, bastante comum nas estradas e ruas brasileiras: motorista aparentemente embriagado, sem cinto de segurança, mas sem nenhum outro sinal de gravidade.

Foi uma batida entre dois carros em uma pista molhada. A situação do outro motorista é mais grave. Depois do atendimento, os dois são levados de ambulância para um hospital - não foi preciso usar o helicóptero.

BR-163, Mato Grosso do Sul. Um carro ultrapassa em um trecho perigoso, obrigando o carro da equipe do Fantástico a ir para o acostamento. Outro carro cruza a pista na estrada movimentada.

São flagrantes de irresponsabilidade que estão sendo monitorados naquele trecho da rodovia, inclusive pelo ar - mas os motoristas não sabem disso. Como o de um carro branco, que ultrapassa um caminhão quando outro vem no sentido contrário.

Já o motorista de uma caminhonete também se arrisca e coloca vidas em risco. Ele passa por três veículos em um trecho de faixa contínua, que indica ultrapassagem proibida. Ele comete mais uma irregularidade, passando por um caminhão em local não permitido. Só que a infração está sendo monitorada pela Polícia Rodoviária Federal em uma operação especial que também usa helicóptero para flagrar maus motoristas nas estradas federais.

A operação faz parte de uma pesquisa inédita no país. O objetivo é avaliar o comportamento do motorista brasileiro. Depois de parar o carro e dar orientações de segurança, a Polícia Rodoviária monitora como ele vai dirigir ao longo dos próximos 20 quilômetros.

A operação ainda é uma experiência e está sendo feita somente em trechos da BR-163, no Mato Grosso do Sul. Primeiro, um motorista é parado ao acaso em uma blitz da Polícia Rodoviária Federal. Os documentos são verificados e ele recebe recomendações de segurança. Em seguida, é liberado.

O motorista segue viagem. Logo atrás vai um policial, em um carro sem identificação da Polícia Rodoviária, que leva também a equipe do Fantástico. Em pouco tempo, o motorista comete a primeira irregularidade.

“Em menos de cinco quilômetros ele já fez uma ultrapassagem em faixa contínua", diz o policial.
Pelo rádio, a descrição do carro é passada aos policiais que estão no próximo posto da polícia, junto com a orientação para ser parado.

O carro é parado no posto, e o motorista é confrontado pelo policial.

Policial: Você foi parado ali atrás pela Polícia Rodoviária Federal?
Motorista: Já fui parado hoje, sim.
Policial: Você cometeu alguma infração de lá para cá?
Motorista: Não.
Policial: Só que eu tenho que informar que nossa equipe flagrou você cometendo ultrapassagens em local proibido.
Motorista: Eu não tinha visto. Não tinha reparado nisso.

O motorista da caminhonete também tinha recebido orientação da polícia.

“Não faça ultrapassagem em local proibido. Não exceda a velocidade da via e vai com Deus”, diz a policial.

Não adiantou nada. Ele é parado novamente e, como o outro motorista, nega ter cometido a infração.

Policial: Não ultrapassou na faixa contínua?
Motorista: Não.
Fantástico: Por que o senhor não seguiu a recomendação?
Motorista: Eu nem percebi.

Os dois motoristas vão perder sete pontos na carteira e pagar multa de R$ 190, mas podem recorrer.

Por sorte, durante a operação acompanhada pelo Fantástico, nenhum motorista provocou um acidente. Em 2012, cerca de 8,6 mil pessoas morreram em acidentes nas estradas federais.

No trânsito como um todo, são 43 mil mortos por ano. São mortes que poderiam ser evitadas. 

Junto com os feridos graves, levam sofrimento a milhares de pessoas e custam muito caro ao país.

“Nós estimamos que a sociedade tem que arcar com um custo na ordem de R$ 40 bilhões por ano”, aponta Carlos Henrique de Carvalho, técnico do Ipea.

O cálculo faz parte de um estudo chamado Custos de Acidente de Trânsito no Brasil, feito pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, o Ipea, um órgão do Governo Federal.

“O principal de componente de custo desses acidentes de trânsito é a perda de produção, ou seja, quando a pessoa, no auge da sua vida profissional, perde a vida ou vem a sofrer uma lesão permanente”, explica o técnico.

O serviço aeromédico é uma parceria que existe há sete anos entre o Samu e a Polícia Rodoviária Federal. Funciona em apenas quatro cidades. Cada uma faz cerca de cem atendimentos por mês. O custo de cada atendimento é de R$ 5 mil por hora, pagos pelo contribuinte. As internações por acidente custam ao Ministério da Saúde mais de R$ 200 milhões.

Em 2002, o Brasil tinha 33 mil pessoas com invalidez permanente por causa do trânsito. Em 2012, eram 352 mil.

“O custo social é muito grande, e a gente precisa realmente trabalhar para que a gente possa diminuir isso”, afirma Maria Alice Nascimento Souza, diretora-geral da PRF.

Lucas, de 19 anos, é um desses pensionistas. Foi atropelado há nove anos quando saía da escola. Teve traumatismo craniano e perdeu os movimentos do lado direito do corpo.

“Ele não falava, ele não sorria, ele não comia, ele simplesmente mexia o olho para o lado esquerdo e para o lado direito”, conta a mãe de Lucas, Elisângela Teles.

Ele vem se tratando em uma clínica especializada em Goiânia com despesas pagas pelo governo. Anda com dificuldade e não tem força no braço direito. Não consegue emprego. E conta com uma pensão de R$ 678 por mês paga pelo INSS.

A mãe de Lucas diz que a motorista causadora do acidente nunca ofereceu ajuda: “Ninguém atropela porque quer. Mas a questão de ser humano, de ser solidário, isso é uma questão de querer. E ela não foi, ela nunca ligou nem para saber se tinha sobrevivido ao acidente”.

Para diminuir as despesas com acidentes e fazer o motorista pensar duas vezes antes de colocar vidas em risco, o INSS firmou um acordo com a Polícia Rodoviária Federal.

“Eu acredito muito no efeito pedagógico da dor no bolso. Então se as pessoas pagam pelos seus erros, outras pessoas também vão entender que, se cometerem delito semelhante, vão também pagar o mesmo preço”, ressalta o presidente do INSS, Lindolfo Neto de Oliveira Sales.

A Polícia Federal põe à disposição do INSS todos os registros sobre acidentes em estradas federais. O causador do acidente que levar a morte ou invalidez vai ser processado e, se condenado, o INSS vai cobrar dele a pensão da vítima ou da família da vítima.

Em 2011, em Natal, Andson Alves da Silva dirigia embriagado e sem habilitação, quando perdeu o controle do carro e atingiu o veículo de uma funerária.  O motorista José Nilson Xavier, de 30 anos, morreu na hora. Deixou a mulher e um filho de 10 anos.

“Destruiu minha família. Fica uma saudade, uma falta”, conta a viúva, Maria Alcina.

Dona Maria Alcina e o filho do casal recebem, por mês, R$ 820 de pensão do INSS.

O caso de Natal é o único do país onde já houve sentença condenatória, em duas instâncias. A Justiça já decidiu que Andson terá que ressarcir o INSS pela pensão paga à família da vítima. O valor passa de R$ 500 mil. Ainda cabe recurso.

O cálculo levou em conta a expectativa de vida da viúva, que é quem recebe o benefício. Dona Maria Alcina Ferreira da Silva  tem 34 anos. Hoje, a expectativa de vida da mulher brasileira é de 78 anos de idade.

Procuramos Andson em Currais Novos, cidade onde mora, no interior do Rio Grande do Norte.

Por telefone, falamos com ele, que não quis comentar a decisão da Justiça. “Nunca tive a intenção de sofrer um acidente, nem de perder o controle do carro. É uma coisa que me traz muito sofrimento, falar sobre o acidente”, disse.

Fantástico: E se o motorista infrator não tiver condições financeiras para pagar essa dívida?

Lindolfo Neto de Olvieira, presidente do INSS: Ele vai ter o seu nome inscrito nos órgãos de controle de crédito, ele vai ficar impedido de comprar a crédito na praça, ele vai ficar inclusive impedido de exercer alguns cargos públicos até que quite seu débito.

“Eu vejo como uma medida muito boa, salutar. Sob o ponto de vista jurídico, é perfeitamente possível. Quem sofre danos, doloso ou culposo de terceiros, tem direito buscar reparação pelo que pagou pelo ato desse terceiro”, avalia o ex-ministro do STF Carlos Velloso.



segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

FELIZ NATAL E VENTUROSO ANO NOVO!

À todos que compartilharam comigo mais um ano, sintam-se abraçados, com muito carinho.
Muito obrigado!


MÚSICA: ADMIRAÇÃO POR PAULA TOLLER E KID ABELHA

Paula Toller
Simplicidade, talento, BELEZA!

Do blog

 


BOLSA-REALIDADE: "O PIOR CEGO É AQUELE QUE NÃO QUER VER"

Desigualdade no saneamento básico no Brasil impressiona relatora especial da ONU

Após dez dias de visita ao Brasil, a relatora especial das Nações Unidas sobre Água e Saneamento, Catarina de Albuquerque, apresentou hoje suas conclusões preliminares e as recomendações iniciais ao governo brasileiro sobre as condições sanitárias do país. A relatora disse que ficou chocada com as desigualdades regionais no acesso ao saneamento básico, sendo a Região Norte a mais afetada.
“Vi muitos contrastes. Há regiões com nível de primeiro mundo, como os estados de São Paulo e do Rio, com cidades com taxa de tratamento de esgoto superior a 93%, e vi outras regiões, como Belém, em que essa taxa é 7,7%, e Macapá, 5,5%. São diferenças assustadoras. Também vi diferenças entre ricos e pobres. O que uma pessoa rica pela água e pelo esgoto não é significativo, mas, para uma pessoa pobre, essa conta é muito alta”, disse a relatora.
Catarina se reuniu com representantes do governo e de organizações internacionais, da sociedade civil e com membros de comunidades em Brasília, no Rio de Janeiro, em São Paulo, Fortaleza e Belém. Em suas visitas, a relatora deu atenção especial aos moradores de favelas, de assentamentos informais e de áreas rurais, incluindo aquelas afetadas pela seca.
Segundo a especialista, o Brasil está entre os dez países onde mais faltam banheiros – 7 milhões de brasileiros estão nessa situação. Cinquenta e dois por cento da população não têm coleta de esgoto e somente 38% são tratados. “A situação de falta de acesso a esgoto é particularmente grave na Região Norte, onde menos de 10% da população têm coleta de esgoto”, disse Catarina.
Ao visitar comunidades carentes no Rio de Janeiro e em São Paulo, a perita da ONU observou que as populações pobres se sentem invisíveis e esquecidas pelo Poder Público. “Fiquei chocada com a miséria e com a falta de acesso ao saneamento de pessoas que vivem em favelas e em assentamentos informais. Isto é inaceitável de uma perspectiva de direitos humanos. Ninguém pode excluir determinados segmentos da população porque não têm a titularidade da terra”, destacou.
Catarina visitou o Complexo do Alemão, no Rio de Janeiro, e ouviu reclamações dos moradores sobre a falta de continuidade nos serviços de abastecimento e da qualidade da água. “O Complexo do Alemão é uma preocupação enquanto houver pessoas que não têm acesso a esgoto e água.”
Segundo ela, os problemas criados pela falta de esgoto acentuam-se durante a temporada de chuvas, como a que ela presenciou na Baixada Fluminense, no Rio, na semana passada. “Pude observar a inundação de ruas e canais de dragagem e vi o esgoto inundando as casas das pessoas”, acrescentou.
Para a especialista, o baixo investimento em saneamento resulta em alto custo para a saúde pública, com 400 mil internados por diarreia, a um custo de R$ 140 milhões para o Sistema Único de Saúde (SUS), principalmente entre as crianças até 5 anos. “As pessoas não associam a diarreia à falta de esgoto e de água potável. Em termos econômicos, investir na água e no esgoto é um ótimo negócio. Para cada R$ 1 investido, os custos evitados [com gastos em saúde] são da ordem de R$ 4”, estimou.
Outro ponto apontado pela relatora da ONU é a questão do alto custo das tarifas de água e esgoto para a população de baixa renda. “É um sufoco para essas pessoas pagar as tarifas. Essa conta não deveria ultrapassar 5% do orçamento familiar. As companhias estaduais decidem ter tarifas muito altas e dividem os lucros entre os acionistas. Deve haver mais pressão dos municípios e dos estados sobre as companhias para que elas reinvistam os lucros no setor.”
Catarina reconhece os avanços no setor e comemora a recente aprovação do Plano Nacional de Saneamento Básico (Plansab). “O Plansab é um avanço enorme, mostra que o país tem visão para o setor nos próximos 20 anos, com recursos financeiros muito significativos.” O plano, com investimentos estimados de R$ 508 bilhões entre 2013 e 2033, prevê metas nacionais e regionalizadas de curto, médio e longo prazos, para a universalização dos serviços de saneamento básico.
O relatório final será apresentado em setembro na próxima sessão do Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas.
Em nota divulgada à noite, o Ministério das Cidades informou que vai avaliar detalhadamente as conclusões apresentadas pela relatora da ONU. De acordo com a nota, Catarina de Albuquerque destaca, em suas conclusões preliminares, os avanços ocorridos no saneamento básico nos últimos anos e aponta problemas que o país ainda precisa enfrentar.
Segundo a pasta, “vultosos recursos” têm sido disponibilizados para obras de saneamento, cuja execução cabe aos municípios, estados e prestadoras desse tipo de serviço. Somente neste o ano, o governo federal selecionou e está contratando empreendimentos que somam mais de R$ 30 bilhões, diz a nota.
Ao lembrar os elogios de Catarina ao lançamento do Plano Nacional de Saneamento Básico (Plansab), destaca a nota, a relatora da ONU reconhece o esforço do país em solucionar os problemas no setor.
Por: Ana Cristina Campos 
Fonte: Agência Brasil – EBC
Edição: Nádia Franco


sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

BELO MONTE: ENERGIA E OURO

Área em Belo Monte com vestígio de ouro é concretada pela Norte Energia
Empresa afirma que apenas vestígios de ouro foram encontrados na área.
Uma turbina dentre 18 previstas no projeto está sendo construída no local.


Do G1 PA
1ª Turbina Belo Monte Casa de Força Usina Hidrelétrica Pará (Foto: Divulgação/Norte Energia)
Local onde está sendo instalada a primeira turbina da Usina de Belo Monte foi concretado após serem encontrados vestígios de ouro (Foto: Divulgação/Norte Energia)

A Norte Energia, empresa responsável pela construção da Usina Hidrelétrica em Belo Monte, localizada em Vitória do Xingu, no sudoeste do Pará, confirmou na manhã desta sexta-feira (20) que foram encontrados vestígios de ouro nas escavações das obras da UHE.

"Logo no início das escavações foi detectada a presença de ouro, após análise de amostras de solo que foram extraídas, mas era uma quantidade muito pequena, nem valia a pena explorar. Então o local foi concretado", informou Delorge Kaiser, gerente de comunicação da Norte Energia, lotado em Altamira.

O local onde foram encontrados os vestígios de ouro fica no sítio Belo Monte, onde vai funcionar a principal casa de força da UHE. Na área vão ser abrigadas 18 turbinas, responsáveis pela maior parte da energia que será gerada pelo empreendimento.

Segundo Kaiser, a primeira das 18 turbinas já começou a ser instalada no local exato onde foi encontrado o filamento de ouro. Outras seis turbinas serão construídas no sítio Pimental. "Não era uma mina, eram vestígios. Os engenheiros que estavam no comando das operações localizaram esses vestígios durante uma escavação", completou Kaiser.

Ainda segundo a Norte Energia, por ser uma quantidade pequena de ouro, o que foi encontrado não tinha viabilidade econômica de exploração.

APLICATIVOS: OS 10 QUE BOMBARAM EM 2013

Os 10 aplicativos mais populares 
do ano
Foto: Thinkstock
Yahoo Finanças - Foto: Thinkstock
É certo que o Lulu é um dos aplicativos mais comentados (e odiados) da atualidade. Mas o ano também foi marcado por outros exemplos que variam de joguinhos aos famosos aplicativos para chamar táxi. Preparamos uma lista com os 10 aplicativos mais populares de 2013, englobando opções para o Android e para o iOS. Confira quais são eles - e, se gostar, baixe os exemplos que ainda não conhecia!
WhatsApp
Desenvolvedor: WhatsApp Inc. 
Quanto custa? Grátis
Links para baixar: iPhone - Android 
O WhatsApp é, certamente, um dos aplicativos que mais cresceram em popularidade no último ano. Se você ainda não usa, certamente conhece alguém que o faz. A sua popularidade se dá principalmente pela facilidade de comunicação que oferece, bastando apenas ter um dispositivo móvel. Ele funciona como as famosas SMS, com a diferença de que as mensagens são enviadas de forma gratuita e que também é possível enviar fotos, vídeos e áudios e até formar grupos de conversa. Com o WhatsApp, você não precisa ter crédito no aparelho para enviar mensagens para todos os seus amigos e familiares e manter contato mesmo com quem está longe, basta ter uma conexão com a internet!
Facebook
Desenvolvedor:
 Facebook, Inc.
Quanto custa? Grátis
Links para baixar: iPhone - Android
Facebook é a mais popular rede social do momento, portanto ela não poderia ficar de fora dos aplicativos mais famosos do ano. O aplicativo é muito usado por pessoas de todos os sexos, idades e preferências. No Facebook, você pode ver as atualizações de seus amigos por meio de frases, vídeos, fotos, compartilhamentos de links e muito mais. Também é um bom aplicativo para ficar por dentro de atualizações das suas páginas preferidas (seja de uma celebridade internacional ou de um jornal local) ou participar de grupos de seu interesse.
Facebook Messenger
Desenvolvedor: Facebook, Inc.
Quanto custa? Grátis
Links para baixar: iPhone - Android
Esse aplicativo serve como um complemento do Facebook. Apesar de ser menos popular, ele também entra na lista dos mais usados do ano com a principal função de permitir a troca de mensagens entre os seus usuários. Enquanto o Facebook é a rede social, o Facebook Messenger é apenas o aplicativo que habilita a função de bate-papo. Ao fazer login no aplicativo, é possível trocar mensagens entre pessoas que não estão conectadas entre si. Ele foi desenvolvido exclusivamente para dispositivos móveis, diferente do Facebook, que também funciona no computador desktop.
Google Maps
Desenvolvedor: Google, Inc.
Quanto custa? Grátis
Links para baixar: iPhone - Android
O Google Maps fez tanto sucesso que, apesar de ser desenvolvido pela empresa Google, também funciona em dispositivos da Apple. O aplicativo é muito utilizado por ser completo em informações sobre rotas e até pontos turísticos das mais diversas cidades do mundo. Com ele, fica mais difícil se perder em qualquer cidade, já que é possível visualizar ruas e até caminhos sugeridos para se fazer de carro, de ônibus ou a pé. Em conjunto com o aplicativo Street View, ele ainda permite ver imagens de algumas cidades e passear por elas com a vista de alguém andando em suas ruas.
Youtube
Desenvolvedor:
 Google, Inc.
Quanto custa? Grátis
Links para baixar: iPhone - Android
O Youtube é um site extremamente conhecido por permitir que seus usuários assistam os mais variados tipos de vídeos. Já o aplicativo faz sucesso e está entre os mais populares de 2013 por permitir que isso seja feito em qualquer lugar. No Youtube, você pode ver vídeos de receitas, passo a passo em diferentes categorias, ouvir músicas, assistir videoclipes e até assistir alguns programas, séries e filmes completos com direitos autorais. E você também pode compartilhar os seus vídeos com amigos e com o mundo inteiro!
Instagram
Desenvolvedor:
 Burbn, Inc. e Facebook, Inc.
Quanto custa? Grátis
Links para baixar: iPhone - Android
Seja para compartilhar fotos da última refeição que comeu, de um show ou de um simples passeio, o Instagram foi o aplicativo de compartilhamento de fotos mais popular do ano. A simplicidade de uso e popularidade entre os usuários garante o sucesso crescente do app. Basta tirar uma foto, recortá-la e adicionar o filtro com efeito que preferir para compartilhá-la com o mundo. O aplicativo faz tanto sucesso que celebridades do Brasil e exterior já aderiram, compartilhando um pouco de sua vida com os seus admiradores (e trolls).
Easy Taxi
Desenvolvedor: Táxi Rocket Serviços de Agendamento Ltda.
Quanto custa? Grátis
Links para baixar: iPhone - Android
O Easy Taxi chegou para facilitar a vida de quem utiliza o meio de transporte e adicionar muito mais segurança. E ele funciona de uma maneira bem simples: basta adicionar informações sobre a sua localização atual e preferências de pagamento (dinheiro, cartão de crédito ou débito) e aguardar que o sistema buscará o taxista mais próximo apto para atendê-lo. Em seguida, o aplicativo mostra a localização do taxista no mapa para que seja possível rastreá-lo e conferir se ele está perto, além de informações como o seu nome, telefone, placa do carro, modelo e uma estimativa do tempo para que ele chegue ao destino. Ao final da corrida, ainda é possível avaliar o taxista positiva ou negativamente.
Candy Crush
Desenvolvedor: King.com Limited
Quanto custa? Grátis, mas com opções pagas
Links para baixar: iPhone - Android
O Candy Crush foi o jogo-sensação de 2013, não apenas no Brasil, como no mundo inteiro. No jogo, tudo o que é preciso é fazer combinações entre doces semelhantes. No início, é necessário apenas fazer combinações simples, mas ao passar as fases elas ficam mais difíceis, com bombas, cronômetros e diversos obstáculos para deixar o jogo mais emocionante. Cada fase também possui objetivos e missões distintas. Apesar de ser de instalação gratuita, o usuário tem a opção de pagar para ganhar mais vidas durante as fases do jogo e outros atrativos. Há uma estimativa de que os usuários de todo o mundo gastem R$ 2 milhões por dia para comprar esses benefícios e vidas extras.
Twitter
Desenvolvedor:
 Twitter, Inc.
Quanto custa? Grátis
Links para baixar: iPhone - Android
O Twitter foi criado em 2006 e faz parte dos aplicativos mais populares até hoje. Ele é uma rede social feita apenas de mensagens de até 140 caracteres. Lá, é possível encontrar mensagens das mais úteis às menos, além de twitadas de amigos, empresas e celebridades. Também é possível compartilhar fotos e links.
Lulu
Desenvolvedor:
 Luluvise, Inc.
Quanto custa? Grátis
Links para baixar: iPhone - Android
Um dos aplicativos mais polêmicos dos últimos tempos, o Lulu permite que as suas usuárias avaliem homens com tags positivas e negativas, além de dar notas. O aplicativo já rendeu protestos e muitas matérias na televisão e internet e o principal argumento é de que as informações veiculadas configuram invasão de privacidade. Apesar da maioria das pessoas acreditarem que o aplicativo é ofensivo, há quem o ache divertido.



TECNOLOGIA: O QUE VEM AÍ PARA 2014

10 tendências tecnológicas 
para 2014

SÃO PAULO – O ano de 2013 foi produtivo para setor tecnológico: um iPhone de baixo custo foi lançado, houve a criação de displays flexíveis e relógios inteligentes que permitem controlar smartphones.
 Agora é a vez de 2014 e a Ericsson realizou uma pesquisa com mais de 100 mil pessoas em mais de 40 países com o objetivo de listar as tendências mais importantes que o mundo da tecnologia deve seguir no ano que vem. Confira:
1- Aplicativos que mudam a sociedade
A rápida aceitação mundial dos smartphones mudou completamente a forma como as pessoas se comunicam e usam a internet. Agora, a previsão é de que a sociedade entre em uma nova fase do uso desses aparelhos, onde as pessoas estão à procura de aplicativos em todos os setores, incluindo compras, educação e transporte.
2- Seu corpo é a nova senha
Depois do lançamento do iPhone 5S com leitor biométrico, 52% das pessoas querem substituir as senhas alfanuméricas pelo leitor de digital. Já 48% dos usuários de dispositivos móveis estão pensando em leitores de retina.
3- Personal training eletrônico
Pressão arterial, pulso e passos são apenas alguns exemplos de como as pessoas gostam de ser acompanhadas de perto pelos dispositivos móveis. Um total de 40% dos usuários de smartphones quer que o seu telefone registre todas as suas atividades físicas e 56% gostariam de monitorar sua pressão arterial e pulso usando um anel.
4- Internet para todos
Os usuários de dispositivos móveis estão em busca de uma melhor experiência de navegação na internet, considerando que o sinal oferecido pelas operadoras não é estável.
5- Inclusão digital
O acesso à Internet em escala global ainda é desigualmente distribuído, dando origem ao que é conhecido como fosso digital. O advento dos smartphones de baixo custo significa que os consumidores não precisam mais de produtos de computação caros para acessar serviços de internet. Além disso, 51% dos consumidores sentem que seu telefone móvel é a peça mais importante da tecnologia, sendo que para muitos está se tornando um dispositivo primário para o uso da internet.
6- Segurança digital
Como a Internet tornou-se parte importante na vida das pessoas, os riscos associados à conexão estão cada vez mais evidentes; 56% dos usuários diários de internet estão preocupados com questões de segurança e privacidade. 
7- Vídeos no controle
As pessoas tendem a assistir mais vídeos recomendados por amigos do que por conta própria. Tanto que 38% das pessoas veem vídeos recomendados pelos amigos várias vezes por semana.
8- De olho na conta
Um total de 48% dos consumidores usa aplicativos para entender melhor o seu consumo de dados. Além disso, 33% querem se certificar de que são cobrados corretamente e 37% dos proprietários de smartphones usam regularmente aplicativos para testar a sua velocidade de conexão.
9- Sensores
Como os serviços de internet interativas são agora comuns, os consumidores estão esperando cada vez mais que o ambiente físico seja igualmente sensível. Até o final de 2016, cerca de 60% dos proprietários de smartphones acreditam que os sensores serão usados em tudo, como cuidados de saúde, transporte público, carros, casas e locais de trabalho.
10- Conteúdo em qualquer lugar

Os locais onde as pessoas assistem TV estão mudando, tanto que 19% do tempo de exibição de vídeos e programas de TV acontecem em smartphones e tablets. Com isso, é possível adaptar a programação à rotina diária de cada um.

ALTAMIRA: MUDANÇAS, POR ENQUANTO, SÓ NOS IMPOSTOS!

Conheça as principais mudanças no Código Tributário de Altamira
Medida reajusta IPTU e ISS

http://oxingu.com

A cidade de Altamira, sudoeste do Pará, é o maior município em extensão territorial do país, mas está longe de ser uma cidade de grande porte como as vizinhas Marabá e Santarém. Apesar disso, é uma das 10 maiores do Estado. Desde 2011 a cidade acumula o caos do crescimento urbano desordenado, é o preço do progresso sem planejamento.

Com a chegada de Belo Monte, a arrecadação do município quase que triplicou. Para se ter uma ideia, a previsão da receita da prefeitura era de R$15,3 milhões de reais para 2013, mas deve chegar ao fim de dezembro com receita de R$45 milhões. O número de habitantes que era de 100 mil em 2009 de acordo com o IBGE, agora é de 140 mil, segundo a prefeitura, com isso cresceu a arrecadação.

Pensando em turbinar ainda mais os cofres da prefeitura, o prefeito Domingos Juvenil, PMDB, elaborou um novo código tributário para Altamira. “Estamos reformulando todo o arca bolso jurídico e tributário da prefeitura, baseado na nova realidade que o município está vivendo”, justifica Juvenil.

A falta de informação prejudicou a aprovação do Projeto de Lei, criou-se uma grande polêmica em torno do assunto, o prefeito chegou a convocar a imprensa para explicar os tributos e enviou técnicos da Secretaria de Finanças a Câmara de Vereadores, que convenceram a maioria dos parlamentares, menos os movimentos sociais, formados por professores, funcionários públicos e estudantes, o resultado foi muita confusão na casa de Leis.

Na penúltima sessão, a reunião foi interrompida depois que integrantes da imprensa interviram na fala de um dos vereadores, que criticava o trabalho dos profissionais na região. Na última sessão muito tumulto e discussões, manifestantes contrários a aprovação do código quebraram os vidros que separam os vidros que separam a plenária do espaço destinado ao público, quatro adolescentes foram apreendidos pela Polícia Militar. Mesmo com tudo isso, o novo código tributário foi aprovado em primeiro turno com oito votos a favor e sete contra. O projeto ainda precisa ser votado em segundo turno, para só então ser levado à sanção do prefeito.

O código

O Código Tributário Municipal foi criado em 1.997 e sofreu cinco mudanças nesse período, a última em 2009. Caso passe pelo segundo turno, esta será a sexta vez que os tributos em Altamira serão modificados.

O Projeto de Lei 061/2013 dispõe sobre o Sistema Tributário do Município, fazer obedecer sobre fatos geradores, contribuintes, responsáveis, bases de cálculo, alíquotas, lançamento e arrecadação de cada tributo, disciplinando a aplicação de penalidade e administração tributária.

O Portal OXingu analisou os dois códigos tributários, o novo e o antigo, e explica o que de fato irá acontecer após a lei entrar em vigor no início de 2014.

Os impostos que compõe o sistema tributário são: Propriedade Territorial Urbana (IPTU); Propriedade Predial; Transmissão de inter vivos de Bens e Imoveis (ITBI); Sobre Serviços (ISS). Além de taxas diversas aplicadas pela prefeitura.

No Novo Código de 146 páginas da prefeitura, o OXingu identificou reajustes no IPTU, ISS e ajustes na tarifa de Iluminação Pública. A adequação dos impostos chegará ao bolso do contribuinte altamirense.

ISS

O Imposto Sobre Serviços (ISS), passou de 4 para 5%. O empresário optante pelo Simples Nacional está isento do reajuste. O aumento do tributo deve chegar somente às grandes empresas, mesmo assim a prefeitura espera arrecadar R$ 1 milhão por mês com o reajuste.

IPTU

Com relação ao Imposto sobre Propriedade Territorial Urbana (IPTU), antes (Lei Municipal n. 2.060/2009) os contribuintes que tinham imóveis edificados pagavam 0,5% de imposto, com a nova proposta os altamirenses terão que desembolsar 0,6%, se for imóveis mistos o valor sobe para 0,7%, os nãos residenciais dobram para 1%. Ou seja, reajustes que variam entre 20 e 100%.

O reajuste de 100% também pode ser notado nos imóveis não edificados (terrenos), que antes era de 1%, se aprovado passará a ser 2%.

A cobrança de taxa de licença para execução de obras foi alterada para “cobrança da taxa de licença para construção de obras particulares, arruamentos, loteamentos e habite-se”. Neste caso, se refere aos alvarás de construção, reconstrução e ampliação. Todo o texto foi modificado, surgindo novas taxas como a renovação de alvará para construção (anual, enquanto perdurar a obra) – por obra, antes essa taxa não existia; Consulta prévia de construção e Análise prévia, o que irá gerar taxas que irão variar de R$47,05 a R$470,50 (5 a 50 UFM - Unidade Fiscal do Município).

Adequações

Outra medida que irá onerar o bolso do contribuinte será a regularização de imóveis, isso por que foi criado o “habite-se especial de regularização”, deste será cobrado taxas referentes ao alvará de construção, além da taxa de habite-se, com mais 2% sobre o valor das duas taxas.

Também foi criada a taxa de aprovação de infraestrutura, caso a prefeitura realmente cobre por isso, os contribuintes terão que pagar por meio-fio e linha d’água – por metro linear (0,05 UFM que corresponde a R$4,70); Pavimentação por metro quadrado (0,20 UFM); Rede de esgoto sanitário (0,15 UFM); Rede elétrica (0,10 UFM); Rede telefônica (0,05 a 0,15 UFM); Logradouro pavimentado (20 UFM) e logradouro não pavimentado – por metro quadrado (5 UFM).

De acordo com a Secretaria de Finanças, para você mesmo calcular os impostos, basta multiplicar o número de UFM por R$9,41, o resultado é a taxa que o contribuinte terá que pagar.

A tabela para cobrança da taxa de licença para o exercício da atividade de comércio ambulante, que antes variava de 2 a 4 UFM, passou a variar entre 2 e 5 UFM.

Remoção de entulho e lixo doméstico

Uma grande mudança foi com relação à taxa de remoção de entulhos e detritos, que agora é identificado como coleta de resíduos sólidos domiciliares residenciais e não residenciais, na prática, se a prefeitura realmente colocar este imposto em execução, significa dizer que o contribuinte altamirense pagará pelo serviço de recolhimento de lixo doméstico. Esse imposto varia entre 1,5 a 20 UFM. Na lei de 2009 a taxa variava entre 5 e 10 UFM e só era cobrado para recolhimento de entulhos. Aumento de 100%.

Por exemplo: quem gera até 10 quilos de resíduos (lixo) por dia, pagará 1,5 UFM (R$14,11); já quem gera 60 quilos de resíduos por dia terá que desembolsar 6 UFM (R$56,46).

Iluminação Pública

Por último, o novo código apresenta a cobrança da contribuição de custeio dos serviços de iluminação pública. O valor da tarifa segue a tabela da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL). O contribuinte que consumir até 30 kwh ficará isento da taxa de cobrança. De 31 kwh em diante, todos pagarão o imposto. A alíquota de iluminação pública irá variar entre R$1,55 a R$32,35, depende exclusivamente do consumo residencial de cada cidadão altamirense. A tarifa comercial varia de R$5,18 (31 a 101 kwh) a R$89,31 (acima de 1000 kwh).

Outras taxas que formam os tributos não foram reajustadas, é o caso da tabela para cobrança da taxa de licença para localização e fiscalização, a taxa de licença para funcionamento de estabelecimento em horários especiais e o famoso ITBI (Imposto sobre transmissão “inter vivos” de bens e imóveis), este último continuou com alíquota de 2%.