sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

FELIZ ANO NOVO, FELIZ LIVRO NOVO!


Escrevendo a sua história


“Quando 2016 começou, ele era todo seu.

 Foi colocado em suas mãos...

 Você podia fazer dele o que quisesse...

 Era como um livro em branco, e nele você podia colocar:

 um poema, um pesadelo, uma blasfêmia, uma oração.

 Podia...

 Hoje não pode mais; já não é seu.

 É um livro já escrito... Concluído. 

 Como um livro que tivesse sido escrito por você, ele um dia lhe será      lido, com todos os detalhes, e você não poderá corrigi-lo. Estará fora do seu alcance.

 Portanto, antes que 2016 termine, reflita, tome seu velho livro e o folheie com cuidado. 

 Deixe passar cada uma das páginas pelas mãos e pela consciência; faça o exercício de ler a você mesmo.

  Leia tudo...

  Aprecie aquelas páginas de sua vida em que você usou seu melhor estilo.

   Leia também as páginas que gostaria de nunca ter escrito. Não tente   arrancá-las. Seria inútil. Já estão escritas. Mas você pode lê-las enquanto escreve o novo livro que lhe será entregue. Assim, poderá repetir as boas coisas que escreveu, e evitar repetir as ruins.

   Para escrever o seu novo livro, você contará novamente com o instrumento do livre arbítrio, e terá, para preencher, toda a imensa superfície do seu mundo.

   Se tiver vontade de beijar, seu velho livro, beije-o.

   Se tiver vontade de chorar, chore sobre ele...

   Não importa como esteja...

   Ainda que tenha páginas negras, entregue e diga apenas duas palavras: OBRIGADO(a) e PERDÃO!!



   E, quando 2017 chegar, lhe será entregue outro livro, novo, limpo, branco todo seu, no qual você irá escrever o que desejar...”



FELIZ LIVRO NOVO!!

quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

JUVENTUDE: CUIDADO COM SUAS ESCOLHAS!


A triste geração que virou escrava da própria carreira 


E a juventude vai escoando entre os dedos.

Era uma vez uma geração que se achava muito livre.

Tinha pena dos avós, que casaram cedo e nunca viajaram para a Europa.

Tinha pena dos pais, que tiveram que camelar em empreguinhos ingratos e suar muitas camisas para pagar o aluguel, a escola e as viagens em família para pousadas no interior.

Tinha pena de todos os que não falavam inglês fluentemente.

Era uma vez uma geração que crescia quase bilíngue. Depois vinham noções de francês, italiano, espanhol, alemão, mandarim.

Frequentou as melhores escolas.

Entrou nas melhores faculdades.

Passou no processo seletivo dos melhores estágios.

Foram efetivados. Ficaram orgulhosos, com razão.

E veio pós, especialização, mestrado, MBA. Os diplomas foram subindo pelas paredes.

Era uma vez uma geração que aos 20 ganhava o que não precisava. Aos 25 ganhava o que os pais ganharam aos 45. Aos 30 ganhava o que os pais ganharam na vida toda. Aos 35 ganhava o que os pais nunca sonharam ganhar.

Ninguém podia os deter. A experiência crescia diariamente, a carreira era meteórica, a conta bancária estava cada dia mais bonita.

O problema era que o auge estava cada vez mais longe. A meta estava cada vez mais distante. Algo como o burro que persegue a cenoura ou o cão que corre atrás do próprio rabo.

O problema era uma nebulosa na qual já não se podia distinguir o que era meta, o que era sonho, o que era gana, o que era ambição, o que era ganância, o que necessário e o que era vício.

O dinheiro que estava na conta dava para muitas viagens. Dava para visitar aquele amigo querido que estava em Barcelona. Dava para realizar o sonho de conhecer a Tailândia. Dava para voar bem alto.

Mas, sabe como é, né? Prioridades. Acabavam sempre ficando ao invés de sempre ir.

Essa geração tentava se convencer de que podia comprar saúde em caixinhas. Chegava a acreditar que uma hora de corrida podia mesmo compensar todo o dano que fazia diariamente ao próprio corpo.

Aos 20: ibuprofeno. Aos 25: omeprazol. Aos 30: rivotril. Aos 35: stent.

Uma estranha geração que tomava café para ficar acordada e comprimidos para dormir.

Oscilavam entre o sim e o não. Você dá conta? Sim. Cumpre o prazo? Sim. Chega mais cedo? Sim. Sai mais tarde? Sim. Quer se destacar na equipe? Sim.

Mas para a vida, costumava ser não:

Aos 20 eles não conseguiram estudar para as provas da faculdade porque o estágio demandava muito.

Aos 25 eles não foram morar fora porque havia uma perspectiva muito boa de promoção na empresa.

Aos 30 eles não foram no aniversário de um velho amigo porque ficaram até as 2 da manhã no escritório.

Aos 35 eles não viram o filho andar pela primeira vez. Quando chegavam, ele já tinha dormido, quando saíam ele não tinha acordado.

Às vezes, choravam no carro e, descuidadamente começavam a se perguntar se a vida dos pais e dos avós tinha sido mesmo tão ruim como parecia.

Por um instante, chegavam a pensar que talvez uma casinha pequena, um carro popular dividido entre o casal e férias em um hotel fazenda pudessem fazer algum sentido.

Mas não dava mais tempo. Já eram escravos do câmbio automático, do vinho francês, dos resorts, das imagens, das expectativas da empresa, dos olhares curiosos dos “amigos”.

Era uma vez uma geração que se achava muito livre. Afinal tinha conhecimento, tinha poder, tinha os melhores cargos, tinha dinheiro.

Só não tinha controle do próprio tempo.

Só não via que os dias estavam passando.

Só não percebia que a juventude estava escoando entre os dedos e que os bônus do final do ano não comprariam os anos de volta.

quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

INDIOS: A EMOÇÃO DA PRIMEIRA FOTOGRAFIA DE INDIOS ISOLADOS

Fotógrafo faz registro raro de tribo isolada em floresta no Acre; veja imagens
Caio Quero e Felipe Souza
Da BBC Brasil em São Paulo

Parte superior do formulário
Parte inferior do formulário
Close dos indígenas
Image copyright RICARDO STUCKERT
Índios se assustam ao ver helicóptero sobrevoar área onde vivem isolados no Acre
O céu escureceu e uma forte chuva obrigou o helicóptero que sobrevoava uma floresta no Acre a pousar. O temporal demorou para passar e a tripulação decidiu voltar ao ponto de partida antes de escurecer.
A chuva frustrou a viagem, mas proporcionou um registro raro e histórico de uma tribo indígena isolada, próximo à fronteira com o Peru. "É como achar uma agulha no palheiro. Pura sorte", definiu o fotógrafo Ricardo Stuckert.
Índio se prepara para disparar flecha

A BBC Brasil teve acesso a parte dos registros feitos por Stuckert no último domingo. Ele viajava para a aldeia Caxinauá (também no Acre), onde faria uma sessão de fotos para o livro Índios Brasileiros. A obra vai documentar a rotina de 12 tribos brasileiras e será lançada no dia 19 de abril de 2017 - Dia do Índio.

Indígena olha para helicóptero
Mas ele estava acompanhado do experiente sertanista José Carlos Meirelles, que trabalhou para a Fundação Nacional do Índio (Funai) durante 40 anos, e a dupla resolveu investigar uma área da mata com mais calma.
"Depois da chuva, a gente voltou e viu umas malocas feitas de palha. A gente estava voando muito rápido, mas vimos plantações e decidimos voltar. Encontramos a tribo e eu comecei a “fotografar", relata o fotógrafo.
Índios observam aeronave escondidos atrás de árvore
Ao identificar uma possível ameaça, os índios reagiram. Os olhares de surpresa e raiva contra o helicóptero foram registrados pelas poderosas lentes de longo alcance de Stuckert. A tribo atirou dezenas de flechas na tentativa de afastar a aeronave, que sobrevoou a região durante sete minutos.
Construção feita pelos índios
O próprio Meirelles avalia o voo como algo invasivo à comunidade isolada. "É um registro importante, mas é uma certa agressão. Por isso, a gente toma o cuidado de não voar baixo para não assustar tanto. Por outro lado, o mundo precisa saber que eles existem e que precisamos de políticas para conservá-los", disse Meirelles, que demarcou áreas de tribos isoladas durante os 20 anos que trabalhou na região.
Ele estima que a tribo, identificada apenas como "Índios do Maitá", por estar próxima ao rio de mesmo nome, é composta por cerca de 300 pessoas. O número, segundo ele, é bem grande para uma aldeia isolada.
Algodão
Segundo o sertanista, não há nenhum relato ou documento de aproximação dessa tribo com povos civilizados e até mesmo outros grupos.
Após o sobrevoo e uma primeira análise das fotos de Stuckert, José Carlos Meirelles identificou detalhes que revelam alguns costumes dos índios isolados.
Índios se escondem ao ver helicóptero
"As mulheres usam uma saiota e eles têm plantações de algodão. São sinais de um povo que tece e fia. Parte deles também possui um cabelo incomum: careca até a metade da cabeça e comprido da metade para trás", relatou.
O sertanista afirmou que os índios são mais altos que a média e os homens amarram o pênis a uma espécie de cinta. O especialista também identificou que a tribo planta milho, banana, mandioca e batata.
Região onde índios foram localizados
O grupo fotografado vive numa área de 630 mil hectares onde estão três reservas indígenas: Kampa Isolados do Envira, Alto Tarauacá e Riozinho do Alto Envira. O sertanista disse que, apesar do completo isolamento, a localização aproximada da tribo já era conhecida.
Nas fotos, não foram identificados objetos ou características que possam ter sido influenciadas ou levadas a eles por outros povos.
Um dos fatores apontados pelos especialistas para a sobrevivência da tribo é o fato dela estar localizada numa região de difícil acesso de madeireiros, garimpeiros e seringueiros.
Emocionante
Em close mais aproximado, o grupo de índios
Stuckert, que trabalhou como fotógrafo da Presidência da República durante oito anos e tem 28 anos de experiência na profissão, disse que o registro dos índios está entre "os mais emocionantes" de sua carreira.
"Eu gostaria de voltar lá, mas acho que a gente não pode ter contato. Precisamos preservar isso e quero que as minhas fotos mostrem que a gente tem que mapear tudo o que está perto e protegê-los para que não tenham problemas externos", afirmou.
O fotógrafo disse ter ficado "maravilhado" por registrar pela primeira vez na sua carreira uma população que nunca teve contato com uma população isolada.
Índios em recorte mais aproximado da imagem
O sertanista José Carlos Meirelles também demonstra felicidade por ter visto os índios isolados, mas se disse preocupado com o possível avanço do desmatamento e de seringueiros.
"Fiquei muito feliz em saber que estão bem. Foi muito bom ver que eles têm um roçado e estão no seu espaço. O problema é que ninguém sabe até quando."
Grupo de índios fotografados durante a expedição, em recorte mais aproximado da imagem



FELIZ NATAL E PRÓSPERO ANO NOVO!!!

Um bom Natal e muita paz no Ano Novo!

RecadosOnline.com

Ao findar de mais um ano, os meu sinceros votos de muita paz, alegria, saúde e felicidades para você que nos acompanhou durante o ano. Muito obrigado!

quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

RELACIONAMENTO: TÃO IMPORTANTE QUANTO O AMOR, É O RESPEITO

Termine o relacionamento antes 
de agir como solteiro
O nosso parceiro não tem a obrigação de ficar nos aguardando enquanto tiramos nossas dúvidas por aí, para então retornarmos como se nada tivesse acontecido. É preciso dizer-lhe o que sentimos ou o que não mais sentimos, pois ele é parte interessada no assunto, é parte integrante, inclusive, e merece saber com o que e com quem está lidando.
Sempre que estivermos em um relacionamento amoroso, precisaremos nos lembrar de que tem alguém muito, mas muito perto de nós, ali juntinho, que resolveu plantar os sonhos em nossos jardins, ao nosso lado. Não estaremos mais sozinhos, tampouco poderemos agir somente pensando nós mesmos. Caso não estejamos prontos para as entregas e renúncias que o encontro amoroso traz, é melhor não nos envolvermos seriamente, ou acabaremos trazendo sofrimento injusto ao parceiro.
Existem pessoas que parecem se negar a assumir, com responsabilidade e entrega, um relacionamento amoroso e tudo o que ele traz. Estar junto requer maturidade, disposição, vontade e empatia, uma vez que não estaremos mais sozinhos. Embora tenhamos que manter nossa individualidade, sem nos anular como pessoa, estaremos de mãos dadas com alguém que torce e sente junto, o que nos impede de caminhar sem voltar os olhos para o outro.
tumblr_lre01rPZ8a1qgidt5o1_500.jpg
Muitas vezes, surgem algumas dúvidas quanto à validade de amansarmos, de acalmamos os nossos passos, de renunciar às baladas, às paqueras, ao não ter que dar satisfações, como se batesse uma saudade do descompromisso, da não responsabilidade sobre ninguém além de nós mesmos. Porém, hesitarmos sobre o quanto esteja valendo a pena abrirmos mão das coisas por conta de um relacionamento não nos autoriza a experimentar a solteirice às escondidas.
https://t.dynad.net/pc/?dc=5550001580;ord=1482336757810O parceiro não tem a obrigação de ficar nos aguardando enquanto tiramos nossas dúvidas por aí, para então retornarmos a ele como se nada tivesse acontecido. É preciso ser sincero, dizer-lhe o que sentimos ou o que não mais sentimos, pois ele é parte interessada no assunto, é parte integrante, inclusive, e merece saber com o que e com quem está lidando. Trata-se de uma vida que está se dedicando a nós, ou seja, agirmos em desacordo com o que o outro requer, como se ele nem existisse, é injusto e cruel. Ninguém merece isso.

Ou estamos ou não estamos juntos. Ou agimos como alguém compromissado e nos dedicamos ao fortalecimento do amor compartilhado, ou rompemos de vez, para então agirmos como quisermos, sem dar satisfações, sem ter que prestar contas a ninguém. O outro precisa saber que não estamos mais interessados em manter um relacionamento sério e teremos que ser nós quem deixará isso claro para ele.

Porque dói demais saber pelos outros que estamos sendo preteridos, ignorados ou traídos, pois investimos fundo no amor. Tratar um sentimento tão nobre e verdadeiro com mentira e desprezo é coisa de criança. Não brinque com sentimentos; vai jogar videogame, caso tenha estacionado na adolescência. Mas avisa.

Graduado em Letras e Mestre em "História, Filosofia e Educação" pela Unicamp/SP, atua como Supervisor de Ensino e como Professor Universitário e de Educação Básica. É apaixonado por leituras, filmes, músicas, chocolate e pela família.


BRASIL: É HORA DA RECONSTRUÇÃO DO PAÍS

O ESTADO QUER QUE EU MORRA!
Publicado em 21/12/2016 às 11:25

CIDADÃOS É HORA DE CONSTRUIR UMA NOVA PÁTRIA

O ESTADO QUER QUE EU MORRA
Caros cidadãos a AASP – Associação dos Advogados de São Paulo, da qual sou filiado, publicou em seu boletim uma “carta aberta à comunidade jurídica”, e devo compartilhar parte deste texto que diz:
“A sucessão de crises que afeta o País parece atingir seu momento mais crítico. As instituições dão sinais de perda da capacidade de garantir estabilidade e a continuidade democrática”.
“Assistimos a um agressivo jogo de forças político-institucional, no qual atores sedentos por protagonismo extrapolam seus papéis sociais e se valem dos legítimos anseios de justiça da população com a finalidade exclusiva de reforçar suas próprias posições”.
“Nesse cenário, o Direito e as instituições judiciárias deixaram de funcionar como muros de contenção da instabilidade política e freios à ação policial do Estado para atuar em sentido oposto: geram insegurança e abusam da força repressiva estatal.
Alguns desses agentes militam politicamente para aumentar os próprios poderes sob o pretexto de controlar a corrupção, mas não aceitam a contrapartida de controle democrático. As graves práticas de corrupção reveladas quase diariamente precisam ser apuradas até o limite das possibilidades e dentro do regime de legalidade”.
O QUE FAZER?
Analisando parte do texto da carta aberta, creio que é hora dos brasileiros conscientes iniciarem a construção de uma nova Pátria. Parte dos políticos está podre, há excesso de partidos políticos, a falta de caráter vem dominando alguns segmentos que manipulam instituições, a economia está arrasada e devassada, o país perdeu a credibilidade internacional e vêm as tristezas para todos aqueles que trabalham e contribuem com mais de sessenta tributos.
É o momento de repensar a ORDEM E PROGRESSO, lembrando um dos hinos que diz: “ou ficar a Pátria livre ou morrer pelo Brasil”. A continuar assim fica nítido que o ESTADO QUER QUE EU MORRA, mas não somente a minha pessoa, mas você e todos que labutam e são cidadãos de bem. Não é possível continuar assim. Alguns desejam a volta dos militares, outros eleições antecipadas, boa parte dos eleitores opta em continuar com o atual governo. O Partido dos Trabalhadores torce pela derrubada do Presidente Temer por vingança. Que maldição. Eis os grandes desafios.
É hora de limpar a nação e colocar nos presídios todos os vagabundos de todas as classes. Vamos nessa?
Olavo Câmara. Advogado, Professor, Mestre e Doutor em Direito e Política.

segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

JUSTIÇA: OS RECURSOS TECNOLÓGICOS USADOS PELA LAVA JATO

Os recursos tecnológicos
 usados pela Lava Jato

UNIVERSO: VOCÊ JÁ IMAGINOU O QUANTO SOMOS INSIGNIFICANTES NESTE PLANETA?

26 Imagens que farão repensar toda a sua existência.
Da escola falamos sobre a imensidão do universo, mas você dimensionou o quão grande é realmente?
Se você está chateado porque teve um dia ruim, havia um mal tempo hoje, arruinaram-lhe um episódio de sua série de TV favorita, ou sua mãe está aborrecendo, eu convido você para contemplar o pequeno espaço onde todas as suas amarguras (e alegrias) se manifestam.
1
 1
Imagen de la NASA Goddard Space Flight Center / Via visibleearth.nasa.gov
Esta é a Terra. O lugar onde você mora, possui 510,072,000 km² de superfície. É por vezes designada como Mundo ou Planeta Azul e lar de milhões de espécies de seres vivos, incluindo os humanos.
 2
 2
Via foxnews.com
E este é o Sistema Solar, o bairro onde você mora, nele encontramos os nove planetas que giram ao redor do Sol. A Terra é o terceiro planeta mais próximo do sol e único corpo celeste onde é conhecida a existência de vida.
3
 3
PerplexingPotato / Via reddit.com
Esta é a distância à escala entre a Terra e a Lua. Não parece muito longe, certo? A distância média desde a Terra à Lua é 384,400 km, mas olhando na imagem alguem pode se perguntar por que a demora em chegar da Terra para a Lua.
4
 4
PerplexingPotato / Via reddit.com
Bem, pense novamente. Dentro dessa distância (apenas 384.400 km) podem caber todos os planetas do nosso Sistema Solar bem classificados. Eu sempre pensei que entre a Terra e a Lua só cabria o Júpiter. Nunca imaginei que é tanta a distância.
5
 5
NASA / John Brady / Via astronomycentral.co.uk
Mas vamos falar sobre os planetas. Esta pequena mancha verde sobre Júpiter é a América do Norte. Olha que pequeno! Isso é porque Júpiter tem um tamanho 318 vezes mais grande do que a Terra e três vezes maior do que Saturno. A Grande Mancha Vermelha é ainda mais grande do que a Terra.
6
 6
NASA / John Brady / Via astronomycentral.co.uk
E isto e o tamanho da Terra (bem, seis Terras) comparado com Saturno, o segundo planeta de maior tamanho e massa depois de Júpiter e o único com um sistema de anéis visíveis desde o nosso planeta.
7
 7
Ron Miller / Via io9.com
E só para sua consideração, isto é como os anéis de Saturno seriam se eles estiveram ao redor da Terra. Uma vista de Ecuador, A Polinésia, Washington (EUA). Seria maravilhoso e mágico ver esta imagem todos os dias!
8
 8
Matt Wang / Via mentalfloss.com
Este é um cometa. Nós acabamos de pousar uma sonda em um desses meninos maus. Isto é como ficaria em comparação com a cidade de Los Angeles (EUA). Recentemente, nós enviamos uma sonda para um desses garotos maus.
9
 9
Vía Twitter: @maiwandafghani
Mas isso não é nada em comparação com o nosso Sol. Lembre-se que o Sol é a estrela mais próxima à Terra e o maior elemento do nosso Sistema Solar, com um tamanho de 109 vezes mais grande do a Terra.
10
 10
NASA
Então, aqui está você, a partir da Lua (384,400 km) não parece longe olhando esta fotografia. Embora, deve ser bonito olhar a Terra a patir da Lua. A visibilidade na Terra é de 20km num bom dia. Imagine o que seria poder ver um objeto enorme a 384.000 km em linha reta.
11
 11
NASA
Aqui você é, visto de Marte. A imagem foi tirada pela Câmera de um dos exploradores que foram enviados pela NASA na procura de sinais de vidas passadas ou possíveis no planeta vermelho.
12
 12
NASA
Aqui, logo atrás dos anéis de Saturno. Esta é a primeira vez que eu veio uma imagem desse ângulo do Saturno. Assim se vê a Terra a 1,200,000,000 km de distância, como uma estela mais no firmamento. Você sabia que as partículas que habitam nos anéis de Saturno giram a uma velocidade de 48.000 km/h? Isso é 15 vezes mais rápido que a uma bala.
13
 13
NASA
E a para além de Netuno, mais de 6,5 bilhões de km. Parafrasseando Carl Sagan, o mundo e tudo o que você tem conhecido existe nessa pequena partícula. Olha isso, a Terra não deve sequer ser visível pelo olho humano sem ajuda de instrumentos óticos.
14
 14
John Brady / Via astronomycentral.co.uk
Então, recapitulemos. Aqui o tamanho da Terra em relação ao tamanho do nosso Sol. O sol ainda se encaixa no quadro. O Sol mede 1.392.500 km de diâmetro, 109 vezes o diâmetro da Terra, pesa ao redor de 333,000 vezes tanto como a Terra e é tão grande que nele cabem cerca de 1.300.000 planetas Terras. Agora você ficou assustando, nê?
15
 15
NASA
E aqui o mesmo Sol visto da superfície de Marte. Quase parece uma estampa terrestre, mas a foto foi tirada a 227,900,000 km de distância do Sol por um dos exploradores enviados ao planeta vermelho.
16
 16
Vía science.nationalgeographic.com
E isso não é nada. Como Carl disse uma vez: “Há mais estrelas no espaço do que grãos de areia em todas as praias da Terra”. Y em breve veremos que Carl Tinha razão, ou pelo menos ficou muito perto de sua declaração.
17
 17
Via en.wikipedia.org
O que significa que lá fora há outros sóis, e alguns muito, muito maior do que o nosso pequeno Sol. Basta olhar o quão pequeno e insignificante é o nosso Sol em comparação com a VY Canis Majoris. Nossa que é assustador.
18
 18
Vía youtube.com
Aqui está outra imagem. A maior estrela conhecida, VY Canis Majoris é 1 bilhão de vezes maior do que o nosso Sol. A VY Canis Majoris é uma hipergigante vermelha, localizada na constelação de Canis Major.
19
 19
Vía reddit.com
Mas em tamanho, nenhum deles se compara com a de uma galáxia. Na verdade, se podemos contrair o Sol até o tamanho de um glóbulo branco e encolher a Via Láctea, usando a mesma escala, este teria o tamanho dos Estados Unidos.
20
 20
Vía teecraze.com
Isto é devido à enormidade da Via Láctea. Este é o lugar onde você está, lá dentro. Por muito tempo achávamos que o nosso Sol era o centro da galáxia, até que os astrônomos foram descobrindo que na realidade nós estamos apenas em um canto da galáxia.
21
 21
Vía Twitter: @lucybrockle
Mas isso é tudo o que você viu. Todas as estrelas que você vê à noite fazem parte apenas do círculo amarelo. (Não é uma foto da Via Láctea, mas você tem a idéia). O diâmetro médio é estimado em 100.000 anos-luz, equivalentes a 1 trilhão de km. Também é calculado que possui entre 200.000 milhões e 400.000 milhões de estrelas e a distância do Sol até o centro da galáxia é de 27.700 anos-luz.
22
 22
Vía Twitter: @smokeinpublic
Mas, no entanto, a nossa galáxia é pequena em comparação com outras. Está é a Via Láctea em relação às galáxias de Andrômeda, M87 e IC 1011, localizada a 350 milhões de anos-luz da Terra. A Via Láctea é apenas um ponto!
 23
 23
Via hubblesite.org
Mas pensemos em grande. Apenas nesta imagem tirada pelo telescópio Hubble, há milhares e milhares de galáxias, cada uma com milhões de galáxias com seus próprios planetas. Uma loucura!
24
 24
Vía wikisky.org
Esta é uma das galáxias dessa foto, UDF 423. Esta galáxia é de 10.000 milhões de anos-luz de distância. Quando você olhar para esta foto, você está vendo bilhões de anos no passado.
25
 25
Vía thetoc.gr
Mantenha isso em mente; essa imagem é uma parte muito pequena do universo. É apenas uma fração do céu noturno. Acredita-se que algumas das outras galáxias foram formadas apenas algumas centenas de milhões de anos após o Big Bang. 
26
 26
D. Benningfield/K. Gebhardt/fecha estelar / Via mcdonaldobservatory.org
E como você sabe, é bastante seguro assumir que existem alguns buracos negros lá fora. Este é o tamanho de um buraco negro em comparação com a órbita da Terra, só para aterrorizar-te um pouco.
Isto é o que veríamos se os planetas estivessem tão perto quanto a Lua.
O universo é um sítio extraordinário que pode oferecer imagens de beleza única. Infelizmente, nós somos seres minúsculos que dificilmente pudéssemos explorar todas essas belezas oferecidas pelo espaço exterior.
 1
 1
Ron Miller
A Lua, capturada em Death Valley, na Califórnia, foi o modelo original para este fotomontagem.
Mas, se a realidade fosse outra e tivéssemos a oportunidade de ver de perto os planetas do sistema solar, como vemos todas as noites a Lua, como seria?…
2
 2
Ron Miller
Mercúrio, o planeta mais próximo ao Sol, seria um pouco maior do que a Lua no céu.
…Aparentemente, esta questão levou o artista Ron Miller para realizar uma série de fotomontagens e o resultado foi simplesmente fenomenal;
3
 3
Ron Miller
Vênus, o segundo planeta do Sistema Solar em ordem de distância ao nosso Sol, traria um grande brilho se estivesse à mesma distância que o nosso satélite natural. Seria ainda mis brilhante que a Lua mesma.
 5
 5
Ron Miller
Júpiter, o gigante de gás, com um diâmetro de 40 vezes mais do que a Lua e o maior corpo celeste do Sistema Solar após do Sol, iria dominar o céu. Seria incrível e um pouco assustador ver esta imagem todos os dias!

 6

 6
Ron Miller
Provavelmente o mais bonito de todos. Saturno com seus anéis iria tocar o horizonte, dando um postal inspirador. Eu só imagino viver em um filme de Ficção Científica de Stanley Kubrik. Sim, eu lembrei de Odisseia no Espaço.
 7
 7
Ron Miller
Urano ficaria assim.
O autor é um ex-diretor de arte da NASA e disse, em uma entrevista ao jornal britânico Daily Mail, que a inspiração sobre esta obra de arte nasceu para gerar reflexão sobre tudo o que nos rodeia e deseja servir como uma forma de inspirar às pessoas.